Províncias

Distribuídos milhares de lotes para a autoconstrução dirigida

Arão Martins | Lubango

Mais de 30 mil lotes de mil metros quadrados cada foram distribuídos, até Setembro deste ano, pelo Governo Provincial da Huíla, no quadro do programa de auto-construção dirigida, revelou ontem o vice-governador para o sector Técnico e Infra-estruturas.

 

Distribuição de terrenos para autoconstrução dirigida contemplou na sua maioria jovens que receberam também materiais de construção
Fotografia: DR

Nuno Mahapi Ndala salientou que o processo de distribuição de lotes de mil metros quadrados abrangeu os 14 municípios da província, tendo ressaltado que o programa está a ser levado a cabo para ajudar a colmatar a problemática do défice habitacional.
O vice-governador esclareceu que a auto-construção dirigida vai permitir que as pessoas com menos recursos construam com o suporte técnico das autoridades, para que ergam casas condignas.
Nuno Mahapi Ndala avançou que, no Lubango, onde foi entregue o maior número de superfícies, foram distribuídos lotes nas centralidades da Eywa e da Quilemba e na nova zona habitacional da Figueira.
Explicou que a distribuição de terrenos para a autoconstrução dirigida contemplou, na sua maioria, os jovens que receberam também, em muitos casos e dentro das políticas de apoio estabelecidas, material de construção, como tijolos, chapas, pedra e areia, entre outros.
Nuno Mahapi Ndala explicou que, na Huíla, a autoconstrução, além de abranger todos os municípios, respeitou todos os parâmetros para a sua implementação efectiva.
Acrescentou que o plano de distribuição de lotes de terreno para a autoconstrução dirigida continua e são feitos planos de loteamento, para que as áreas contempladas sigam as regras e as normas do ordenamento do território. Questionado sobre a segurança nas novas residencias, Nuno Mahapi Ndala  garantiu que os lotes distribuídos se encontram em zonas seguras e estão disponíveis um conjunto de infra-estruturas que vão proporcionar vários  serviços sociais básicos essenciais à população, desde a rede de estradas ou arruamentos, energia eléctrica e água, hospitais, escolas, espaços de lazer e comerciais,  ao asseguramento policial.

Casas evolutivas

Nuno Mahapi Ndala referiu ainda que a par da distribuição de lotes, foram construídos, no quadro do programa dos 200 fogos habitacionais, várias casas em todos municípios. O vice-governador para o sector Técnico e Infra-estruturas salientou que, na Huíla, estão em curso programas de construção habitacional, liderados pelo Governo, assim como outras que são feitas em parceria com empresas privadas.
Esclareceu que o Programa de Autoconstrução Dirigida é considerado o maior pacote nesta natureza, assegurando que o Governo está a desenvolver o plano com sucesso.
A construção de moradias nos 14 municípios, referiu, está a conferir, além do bem-estar às famílias, uma nova imagem e configuração das sedes municipais e não só.

Ocupação de casas

A ocupação das habitações construídas, no âmbito dos 200 fogos nos municípios da Huíla, é positiva, considerou o vice-governador para o sector Técnico e de Infra-estruturas.
Nuno Mahapi Ndala reafirmou que o défice habitacional ainda é alto e o número de moradias construídas está a ser utilizado de forma positiva pela população.O vice-governador considerou normal que, neste momento, e em função do actual contexto da economia mundial houvesse uma desaceleração dos avanços nos programas.

Tempo

Multimédia