Províncias

Docentes com mais valências

Arão Martins | Lubango

Professores do ensino primário das províncias da Huíla e Namibe defenderam, no Lubango, maior protecção dos equipamentos instalados nas escolas abrangidas no projecto do Ministério da Educação “Meu Kamba”, ligado à inserção de computadores nas salas de aula.

Directores de escolas e docentes da Huíla e do Namibe estão melhor preparados para a inserção das TICs nas salas
Fotografia: Arão Martins | Edições Novembro | Lubango

Os professores manifestaram este desejo no final do seminário de formação dos directores e professores, enquadrados no projecto “Meu Kamba”, que tem como propósito a inserção das Tecnologias de Informação e Comunicação no subsistema de ensino primário e sua familiarização no seio dos professores e alunos, que durou sete dias.
Durante a acção formativa, que contou com 80 participantes, entre professores e directores, os presentes tiveram a oportunidade de conhecer as funcionalidades do computador, filme em rede, câmara do professor, quadro de partilha, monitorização e controlo, comando remoto, chat, ensino em grupo, questionário e inquérito.
Os especialistas das disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências da Natureza fizeram a apresentação dos objectivos das disciplinas em relação ao aluno e ao professor, as competências tecnológicas no processo de ensino e aprendizagem, o uso eficaz de recursos existentes nos computadores, bem como as estratégias e metodologias a utilizar na sala de aulas com as novas tecnologias.
 Em nome dos professores, Moisés Samunheca disse que tendo em conta a globalização, há cada vez mais necessidade de estarem familiarizados com as novas tecnologias de informação e comunicação, para poderem responder com as exigências do dia-a-dia.
Para atender esta necessidade, o Ministério da Educação seleccionou algumas escolas do ensino primário do país, para implementar o “Projecto Meu Kamba”- Um computador por aluno em sala de aula, com o objectivo de, desde cedo, introduzir as Tecnologias de Informação e Tecnologia (TICs) no ensino primário, dando oportunidade às crianças desta faixa etária de terem contacto com as novas tecnologias. O administrador executivo da empresa “Meu Kamba”, Francisco Xavier Pedro, disse que investir na educação é um dever patriótico e num mundo complexo e dinâmico em mudanças só vencem aqueles que resistirem nas Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs).

Números do projecto

Francisco Xavier Pedro assegurou que a empresa Meu Kamba, detentora do computador da marca, está presente em 12 províncias de Angola, através de 78 escolas, 152 salas de aulas montadas, 6.080 computadores distribuídos, 264 professores formados e 20 acções de formação.
Afirmou que o Executivo, o Ministério da Educação, as direcções provinciais da Educação do Namibe e da Huíla acreditam que uma Angola de amanhã, livre das masmorras do subdesenvolvimento passa necessariamente pela educação das crianças de hoje e pela qualidade dos professores.
O administrador executivo da empresa “Meu Kamba” definiu a tecnologia como a alavanca da competitividade e é com ela que os alunos vão interagir em tempo real com o professor, e, este último, vai obter a informação do processo de aprendizagem de forma instantânea.
“Em nada servirá a presença do projecto em 12 províncias, com abrangência de 152 salas e um universo de 6.080 computadores distribuídos, se os mais de 12 mil alunos beneficiários não sentirem um impacto real nas suas vidas e no seu processo de aprendizagem”, afirmou Francisco Pedro, para quem esta realidade só será possível com o empenho de todos. O director provincial da Educação na Huíla, Américo Chicoti, disse que o seminário de formação dos directores e professores, enquadrados no Projecto “Meu Kamba”, aberto no pretérito dia 17 de Julho do ano em curso, tinha como principal propósito a inserção das Tecnologias de Informação e Comunicação no subsistema de ensino primário e sua familiarização no seio dos professores e alunos da região.
Américo Chicoti disse que cada vez mais as chamadas “novas tecnologias” vão penetrando nas nossas vidas e no quotidiano das actividades docentes. Acrescentou que a inserção destas tecnologias no ensino primário vai fazer com que os nossos alunos, desde muito cedo, aprimorem a utilização destes equipamentos e deles retirem o maior proveito possível.
A evolução das TICs, afirmou, permite que os alunos e professores tenham acesso à informação e aos conteúdos programáticos, o que traz mudanças qualitativas no processo docente educativo. 
Aos participantes, Américo Chicoti aconselhou a assumirem o compromisso de porem em prática tudo que aprenderam durante a acção formativa, de modo a elevarem a qualidade de ensino na região.

Tempo

Multimédia