Províncias

Doentes são abandonados por familiares

Arão Martins | Lubango

A directora do Hospital Psiquiátrico do Lubango, Madalena Francisco, denunciou que muitos familiares abandonam os seus doentes naquela instituição clínica.

Esta situação de abandono dos doentes mentais no hospital pelos familiares prejudica a recuperação dos pacientes, disse.O desconhecimento da doença por parte de familiares conduz à indiferença e a juízos inapropriados sobre a pessoa portadora de perturbações mentais, ao estigma, preconceito e discriminação, que impedem que o doente mental beneficie de tratamento e cuidados.
As autoridades devem apostar cada vez mais em investimentos que facilitem a promoção de acções formativas e o reforço dos recursos humanos em saúde mental e são necessárias intervenções comunitárias na prevenção de doenças mentais e cuidados que o doente deve ter no seio da família, bem como a criação de espaços para o atendimento, apoio psicológico e assistência social ao nível dos socorros primários, referiu Madalena Francisco.
A doença mental é um problema de saúde pública e devem ser criados serviços de controlo e tratamento desta enfermidade nas instituições sanitárias em todos os municípios da província, assim como determinar as condições de vida no processo saúde-doença da população, como a dependência química, violência doméstica, abandono e depressão, que têm alta prevalência na Huíla.

Tempo

Multimédia