Províncias

Empresas incumpridoras são afastadas no Chipindo

Arão Martins| Chipindo

O governador provincial disse, no Chipindo, que vão ser afastadas as construtoras que não cumpriram os prazos e cláusulas estipulados em contrato de execução de obras que são entregues a outras empresas. 

Governador avalia andamento das obras
Fotografia: Arão Martins| Chipindo

João Marcelino Tyipinde declarou que “a população não ficar dependente de construtoras preguiçosas”.
“Não posso depender de uma empresa, ainda que seja angolana, que não termina as obras, que vamos entregar a construtoras chinesas ou vietnamitas, desde cumpram”, referiu.
O governador lamentou que de várias empresas não tenham concluído, conforme o acordado, muitas obras de impacto social no Chipindo, muitas das quais deviam ter ficado prontas por ocasião do Dia do Herói Nacional, que se assinalou na quarta-feira.
João Marcelino Tyipinde deu como exemplos as obras de construção uma escola de seis salas e do posto da Polícia, na comuna de Bambi, que não se sab e quando acabam. O governador anunciou que a circulação entre a comuna do Bunjei e a sede municipal de Chipindo e daqui para a povoação da Huíla e Cuima, esta última no Huambo, é melhorada em breve, com a reparação, antes do fim de Outubro, da ponte sobre o rio Bunjei.
João Marcelino Tyipinge reconheceu as dificuldades das pessoas, principalmente quando chove, devido ao mau estado da ponte. O governador, que realçou o potencial agrícola da comuna do Bunjei, principalmente de cereais e hortícolas, referiu que após a reparação é possível dinamizar as trocas comerciais entre a cidade e o campo.

Tempo

Multimédia