Províncias

ENDE mobiliza maior número de clientes

Domingos Mucuta | Lubango

A direcção da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE), na Huíla, está a reforçar a aposta na mobilização dos 64 mil consumidores de energia no sentido de todos estes serem convertidos em clientes com contratos firmados com a área comercial da instituição.

O objectivo é garantir o controlo do número de clientes assim como melhorar a qualidade dos serviços prestados à população
Fotografia: Domingos Mucuta | Huíla

O director da empresa, Francisco José Fernando, disse ontem, na cidade do Lubango,que a meta é garantir o controlo do número de clientes, pagamentos da electricidade, bem como melhorar a qualidade dos serviços e aumentar o volume de receitas para manter a sustentabilidade económica e financeira da organização.
Francisco Fernando afirmou que o elevado número de consumidores sem contratos firmados com a ENDE, cuja cifra supera os actuais 64 mil consumidores registados, continua entre as maiores preocupações da direcção provincial da empresa, pelo facto de dificultar a cobrança dos serviços e prejudicar os clientes.
“Temos os clientes, como residências e empresas, bem identificadas por terem o contrato firmado com a nossa área comercial, mas há igualmente os consumidores que resistem em não regularizar a sua situação junto dos nossos serviços”, lamentou o responsável para avançar que decorre o processo de corte para desencorajar este comportamento.
Por esta razão, a empresa desenvolve a estratégia de levar aos consumidores as vantagens de estarem registados, no quadro das campanhas de mobilização, denominadas “Sábado da ENDE Comercial”, que se realizou na quinta-feira, no bairro Santo António.
O director avançou que a iniciativa tem aproximado cada vez mais os consumidores da empresa, uma vez que a cada semana o número de clientes aumenta, com abertura de contratos, negociação e actualização dos munícipes que andaram afastados da ENDE por diversas razões.
“As campanhas de sensibilização realizadas aos sábados nos bairros do Lubango têm produzido efeitos desejados, sobretudo com o esclarecimentos de dúvidas aos clientes econsumidores, muitos dos quais aproveitam o momento para formalizar contrato com empresa”, gaba-se.

Mais energia

 
O director da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade na Huíla explicou que a capacidade de produção de energia eléctrica dos grupos geradores e da barragem da Matalaé de mais de 70 megawatts, uma potência suficiente para abastecer o Lubango e arredores.
Francisco Fernando acrescentou que, em termos de estabilidade, a empresa continua económica e financeiramente sustentável, uma vez que o aumento das receitas reforça esta confiança no mercado.
O responsável incentivou os consumidores a pagarem a energia, para evitar cortes no fornecimento, acrescentando que o projecto de expansão da rede de média e baixa tensãovai chegar faseadamente aos bairros periféricos da cidade do Lubango. O projecto de expansão da rede de distribuição de média e baixa tensãoabrange a fixação de postos nos arredores do casco urbano, a alargamentoda mesma para os bairros da Tchavola, Mapunda, Candinda, Nambembe, Joaquim Capango e outras zonas que nunca tinham beneficiado de energia.
O director sublinhou que o processo é igualmente abrangente para os municípios da Humpata, Cacula, Cuvango, Matala.
Estas localidades, além da rede de média e baixa tensão, estão a beneficiar ainda de trabalhos de extensão de rede de alta tensão, para garantir uma melhor distribuição dos serviços.

Tempo

Multimédia