Províncias

Energia solar nas áreas isoladas

Estanislau Costa|

A falta de energia eléctrica nos locais públicos e habitações das zonas mais recônditas do município do Lubango vai ser resolvida em breve, com a instalação de vários painéis solares integrados, capazes de gerar a corrente necessária para um número considerável de famílias.

 

Utilização de painéis solares é uma das melhores vias para solucionar a falta de energia nas sanzalas em detrimento do gerador que acarreta muitos custos na aquisição de combustível
Fotografia: Estanislau Costa|

O administrador municipal do Lubango, Silvano Levi, ficou convencido com as explicações da empresa angolana especializada na produção de energia à base de fontes renováveis, a G4, na Feira dos Municípios e Cidades de Angola, e considera a utilização de painéis solares como uma das vias para solucionar a falta de energia nas povoações.
Silvano Levi afirmou que, em certos casos, a instalação de geradores termoeléctricos nas povoações ou sanzalas fica cara, por acarretar muitos custos na aquisição de combustíveis e lubrificantes, assim como na sua manutenção.“A electrificação domiciliar de várias povoações com energia gerada por painéis solares pode ser a opção exequível por ser económico, principalmente no que diz respeito ao material, com destaque para os cabos condutores, escavação ou uso de postes, manutenção permanente e outros”, disse.
O administrador congratulou-se com as tecnologias inovadoras no domínio da energia solar, por permitirem que, aos poucos, nos libertemos da energia hídrica, e promoverem o uso de energias limpas, preservando deste modo o ambiente e evitar alterações do clima.
A primeira Feira dos Municípios e Cidades de Angola, promovida pelo Ministério da Administração do Território, representa uma grande oportunidade para os mais de 160 gestores municipais trocarem experiências, mostrarem as suas potencialidades e iniciativas.
“Interagimos e aprofundámos o espírito de solidariedade, para que as realizações do Executivo que fomentam o desenvolvimento sejam feitas no mesmo sentido”, disse o responsável. Um programa, que visa o fortalecimento económico das famílias do meio rural do município do Lubango, vai distribuir gratuitamente mais de três mil aves de elevada qualidade e 200 touros de raça, com o propósito de melhorar e fomentar a criação de animais.
Silvano Levi informou que está a partilhar a iniciativa do Governo Provincial da Huíla com outros administradores municipais presentes na Feira das Cidades e Municípios de Angola, para generalizar o repovoamento animal e melhorar a qualidade das aves e gado bovino.
O cruzamento de animais de raça com aves ou gado autóctone representa um valor acrescentado para o aumento da qualidade e da quantidade animal nas povoações e sanzalas, o que fortalece o rendimento familiar e cria condições para uma dieta condigna, realçou o administrador.
A acção, enquadrada no Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, abrange as famílias das comunas da Arimba, Quilemba, Huíla e Hoque. Os animais foram adquiridos no pólo de desenvolvimento agrário do Waku Kungo.

Chouriço caseiro

As indústrias caseiras dedicadas à produção de chouriço artesanal, entre outros artefactos expostos pela comitiva da Huíla, foram os principais motivos de atracção das pessoas que acorreram ao recinto da FIL. Os curiosos em matéria de enchidos locais saborearam o chouriço do Lubango.
A experiência, habilidade e dedicação das produtoras de enchidos das terras da Chela colocam permanentemente à disposição dos clientes presunto, torresmo, chouriço de sangue, carne de porco seca, assim como o famoso chouriço caseiro.As pessoas que estiveram na área reservada à Huíla admitem que o chouriço caseiro faz parte da ementa turística do Lubango, juntando-se ao monumento do Cristo Rei, Nossa Senhora do Monte, Serra da Leba, Tundavala, cascata da Huíla e outros cantos e encantos destas paragens.

Tempo

Multimédia