Províncias

Ensino da Medicina deve perseguir excelência

Arão Martins | Lubango

O director nacional de Investigação Científica do Ministério do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, Domingos da Silva Neto, defendeu, na cidade do Lubango, a importância da Faculdade de Medicina optar pela busca da excelência, de forma a garantir que os seus estudantes tenham um perfil aceitável e possam exercer de forma efectiva a profissão de médicos.

Jornadas da Faculdade de Medicina da Universidade Mandume Ya Ndemufayo contaram com a participação de professores e estudantes
Fotografia: Arão Martins | Lubango

O director nacional de Investigação Científica do Ministério do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, Domingos da Silva Neto, defendeu, na cidade do Lubango, a importância da Faculdade de Medicina optar pela busca da excelência, de forma a garantir que os seus estudantes tenham um perfil aceitável e possam exercer de forma efectiva a profissão de médicos.
Domingos da Silva Neto, que falava no encerramento das III Jornadas Científico-Pedagógicas da Faculdade de Medicina da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, disse ser pertinente a busca da excelência, para que, depois de terminar a formação, além de exercer a profissão de forma efectiva, os estudantes também se possam inserir nas organizações profissionais no país e a nível internacional.
O responsável afirmou que o encontro foi proveitoso, na medida em que os médicos, estudantes de medicina e outros responsáveis testemunharam o debate académico e a divulgação de resultados obtidos a nível da investigação científica, no domínio da saúde, ciências biomédicas e áreas afins, bem como aspectos importantes em torno da gestão hospitalar, bioética e curricular.
Domingos da Silva Neto salientou que o Ministério do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia está a trabalhar e vai privilegiar, nos próximos tempos, acções que possam contribuir para o reforço da formação pós-graduada, para o aumento dos níveis de formação do corpo docente, reforço da cooperação inter-institucional, para promover a criação ou funcionamento em redes de conhecimentos.O reforço da coordenação e da articulação entre os demais intervenientes, de forma a promover a optimização do uso dos recursos e meios disponíveis, é outra acção tida como prioridade do Ministério do Ensino Superior, para melhorar a qualidade.
Actualizar as carreiras dos docentes universitários, elaborar e implementar uma carreira técnica de apoio à investigação científica, de forma a valorizar as carreiras, promover o aumento da produção científica entre docentes e investigadores e contribuir para a efectiva inserção das instituições que representam a nível da região e internacional, também merecem a atenção do ministério de tutela.
“O aumento da produção científica e a afirmação dos investigadores angolanos a nível da região conta com a iniciativa do Ministério do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, que, à luz de um acordo de cooperação científica e tecnológica com a África do Sul, lançou, a 14 de Novembro do ano em curso, um concurso público de submissão de projectos de investigação, que devem contar com a participação dos dois países”, disse Domingos da Silva Neto. A coerente implementação de documentos orientadores, aprovados pelo Executivo angolano como linhas mestras do Ensino Superior, e da recente Política Nacional de Ciência e Tecnologia, vai contribuir para a elevação da qualidade de ensino, que, entre outros, passa pela melhoria do desempenho científico das instituições do Ensino Superior, acrescentou o director Domingos da Silva Neto.

Conclusões e recomendações

Os participantes às III Jornadas Científico-Pedagógicas da Faculdade de Medicina da Universidade Mandume Ya Ndemufayo recomendaram que a visão de formação da faculdade deve ter em conta o défice de profissionais e meios de diagnóstico que a região vive.
A criação de mecanismos de capacitação do pessoal de saúde, para que possa interagir de forma adequada com as mulheres violentadas que chegam aos hospitais, consta também das recomendações saídas do encontro, que decorreu sob o lema “A Faculdade de Medicina na busca da excelência do ensino, investigação e extensão, para uma melhor resposta aos problemas de saúde da sociedade”.
Os participantes recomendaram ainda que nos estudos exploratórios realizados se aumentem as amostras para realizar investigações mais abrangentes e poder fazer inferências estatísticas na população geral.
O aumento do uso dos métodos estatísticos com base científica reconhecida, para se apresentar resultados e ter conclusões válidas, consta também das recomendações saídas do encontro, que contou com a presença dos decanos das faculdades de Medicina de Cabinda, Bengulela, Huíla e médicos cubanos e angolanos.
As III Jornadas Científico-Pegadógicas tiveram como linhas temáticas a Educação Médica, Doenças Infecciosas e Parasitárias, Doenças Crónicas não transmissíveis e outras temáticas de saúde e pedagogia. Os participantes consideraram importante que os docentes, investigadores e estudantes desenvolvam actividades de investigação que se identifiquem com os problemas da sociedade em que estão inseridos. É também fundamental que, entre os estudantes de Medicina, se promova a clarificação necessária, para se evitar a tendência actual de se confundir “investigação científica” e “pesquisa bibliográfica”.

Tempo

Multimédia