Províncias

Ensino médio na província da Huíla conta com novas infra-estruturas

André Amaro | Lubango

Deputados da Assembleia Nacional pelo círculo provincial da Huíla concluíram, durante uma vista efectuada sexta-feira às escolas do ensino médio da cidade do Lubango, que a nova infra-estrutura para o referido nível foi construída numa zona apropriada para se desenvolver o processo de educação e instrução.

Deputados da Assembleia Nacional visitaram escolas do ensino médio
Fotografia: Santos Pedro

Deputados da Assembleia Nacional pelo círculo provincial da Huíla concluíram, durante uma vista efectuada sexta-feira às escolas do ensino médio da cidade do Lubango, que a nova infra-estrutura para o referido nível foi construída numa zona apropriada para se desenvolver o processo de educação e instrução.

A comitiva, chefiada por Isabel Ndala, integrou os deputados Desidério Graça e Aguita Raimundo, que constataram o estado actual das escolas do ensino secundário do Nambambe, Magistério Primário, Instituto Médio de Economia e escola de formação de professores do Lubango.
O director provincial da Educação, Américo Chicote, explicou que a inauguração do Magistério Primário estava condicionada à construção da lavandaria, cuja obra está em fase de conclusão. “Houve necessidade de construir a lavandaria para servir 200 internados no lar”, disse.
Os deputados constataram que a escola secundária e o Magistério Primário foram construídas de raiz, mas apenas a primeira funciona. A outra aguarda pela sua inauguração, que está prevista para o segundo semestre deste mês.
Já o Instituto Médio de Economia do Lubango beneficiou de obras de requalificação e ampliação. A instituição começou a funcionar no presente ano lectivo.
A escola de formação de professores vai se transformar em Magistério Primário.
A deputada Isabel Ndala considerou que a cidade do Lubango está bem servida em termos de infra-estruturas escolares do ensino médio.
“Da visita que fizemos podemos constatar que houve um grande investimento a nível do ensino médio em infra-estruturas, meios de ensino modernos que bem aproveitados podem melhorar a formação de quadros”, sublinhou.
Para Isabel Ndala, os investimentos feitos vão melhorar a qualidade no processo de ensino e aprendizagem e aumentar o número de vagas.

Magistério Primário

O Magistério Primário do Lubango situa-se no bairro do Nambambe, a cinco quilómetros do centro da cidade, e está vocacionado à formação de professores do ensino primário.
A instituição é composta pelo edifício escolar, com dez salas de aulas, internato para 200 alunos, refeitório, lavandaria, ginásio, campo polivalente, residência para o director, tanque de água e geradores.
A escola tem a capacidade de albergar mil alunos nos períodos da manhã e da tarde, nas especialidades de química, biologia, língua portuguesa, inglesa e francesa, matemática, física e geografia.
Está apetrechada com quatro laboratórios nas áreas de biologia, química, física, geografia, sala de informática, multimédia, música, sistema de Internet e um espaço para aulas audiovisuais.
O director provincial da Educação, Américo Chicote, informou que os coordenadores dos cursos vão ser brevemente capacitados, com vista a manusearem os equipamentos montados.
Américo Chicote garantiu que as condições estão criadas para que o Magistério Primário comece a funcionar no primeiro semestre do presente ano lectivo, com três turmas já existentes.

Escola Secundária

A Escola Secundária do Nambambe iniciou a sua actividade em Junho de 2009, altura em que foi inaugurada e contava com 350 alunos matriculados na 10ª classe, nas especialidades de química, física, matemática, geografia e ciências jurídicas.
Situada no bairro do Nambambe, num local adjacente ao Magistério Primário, o estabelecimento conta com 12 salas de aulas, salas administrativas, três laboratórios, campo polivalente e ginásio.
No presente ano lectivo, a Escola Secundária matriculou 750 alunos, na 10ª e 11ª classes e prevê, no próximo ano, lançar no mercado de trabalho os primeiros 250 professores.
O director da instituição, Mariano dos Santos, considerou de positivo o primeiro ano de funcionamento, na medida em que o aproveitamento dos alunos está bom, face aos meios de ensino postos à disposição.
Mariano dos Santos disse que neste momento a maior preocupação da direcção prende-se com a falta de um orçamento para suportar as despesas correntes e para a manutenção pontual da estrutura.
Referiu que a escola dista a seis quilómetros do centro da cidade do Lubango, o que dificulta a deslocação dos alunos e professores, por este facto pede a intervenção das autoridades governamentais.

Tempo

Multimédia