Províncias

Ensino no Instituto Médio de Economia dinamizado através de novas tecnologias

Arão Martins | Lubango

O uso das novas tecnologias no Instituto Médio de Economia do Lubango (IMEL) está a contribuir para a dinamização das actividades da direcção, dos docentes e alunos deste estabelecimento.

A especialização e formação contínua é a chave de uma carreira numa instituição de alto desempenho como é o caso do IMEL
Fotografia: Arão Martins

 

 O uso das novas tecnologias no Instituto Médio de Economia do Lubango (IMEL) está a contribuir para a dinamização das actividades da direcção, dos docentes e alunos deste estabelecimento.
 O reconhecimento foi expresso ontem, na cidade do Lubango, pelo director geral da instituição, Belinho Joaquim, quando falava na abertura do IV seminário técnico-científico e didáctico, em que participam 153 professores, e que decorre até ao dia 25. Belinho Joaquim afirmou que o país está a evoluir no campo da electrónica e o uso das novas tecnologias no IMEL já é um facto, o que está a dinamizar a execução das tarefas.
O director exemplificou, dizendo que os horários têm sido elaborados em sistema informático.
O facto, sublinhou, tem permitido o arranque das aulas em tempo oportuno. “As pautas foram já elaboradas com maior celeridade neste sistema”, disse.
O responsável disse que tem havido também maior eficiência no pagamento salarial, graças à utilização do sistema SIGFE.
 
Superação profissional

A especialização e formação contínua é a chave de uma carreira numa instituição de alto desempenho, como é o caso do IMEL. Por isso, está para breve a abertura de um laboratório de superação profissional.
 O laboratório, adiantou Belinho Joaquim, vai servir alunos, professores e todos os outros trabalhadores, com a administração de cursos dirigidos de acordo com a necessidade individual e colectiva.
O director geral do IMEL disse que a preocupação principal é o ser humano, visto que nada funciona sem primeiro passar pelo homem.
Belinho Joaquim anunciou que está a ser implementada uma nova metodologia de realização do seminário técnico-científico, que consiste em diagnosticar os problemas reais que a instituição vive para procurar as soluções.
 
Outras inovações

O director Belinho Joaquim precisou que o uso da caderneta do professor e do aluno é um meio que facilita a execução da prática pedagógica, para fazer cumprir as estratégias e os objectivos psico-didácticos. “Precisamos de assegurar a direcção científica do processo docente-educativo, proporcionando aos educandos a aquisição de conhecimentos sólidos com bases científicas, desenvolvendo a sua personalidade de forma multifacetada e harmoniosa”, disse. 
Belinho Joaquim referiu que o uso da bata pelos professores e alunos já é um facto, pelo que, no segundo trimestre, é de carácter obrigatório.
O director apelou aos professores para que não sejam relutantes às mudanças e às inovações, pois o modelo de gestão adoptado pela instituição tem como pressuposto a competência e a eficácia.

Tempo

Multimédia