Províncias

Ensino privado está a progredir na Huíla

Domingos Mucuta | Lubango

A abertura, neste ano lectivo, de um novo colégio de ensino privado, na cidade do Lubango, eleva para 30 o número de estabelecimentos do género registados pela direcção provincial da Educação, Ciências e Tecnologia na Huíla.

Província da Huíla conta com mais salas para reforçar o sistema de ensino e aprendizagem
Fotografia: Jornal de Angola

A abertura, neste ano lectivo, de um novo colégio de ensino privado, na cidade do Lubango, eleva para 30 o número de estabelecimentos do género registados pela direcção provincial da Educação, Ciências e Tecnologia na Huíla.
O director provincial, Américo Chicoty, disse que neste ano lectivo o ensino privado absorve cerca de 40 mil alunos nos níveis pré-escolar, primário, secundário, técnico profissional e superior.
O colégio Cleusia Alexandra dispõe de 26 salas para 2.500 alunos, distribuídos em três turnos, piscina, ginásio, laboratórios de informática e biologia, livraria e biblioteca, com meios modernos.
O estabelecimento escolar, construída no bairro Mapunda conta igualmente com um parque infantil, posto de primeiros socorros, balneários e parque de estacionamento para 30 viaturas.
A directora administrativa do colégio, Lisete Salgueiro, afirmou que o estabelecimento de ensino tem condições para ministrar aulas do I ao III nível, com realce para as Ciências Jurídicas e Económicas, Biologia e Informática.

Incentivo aos empreendedores

O director Américo Chicoty elogiou as instalações da escola por corresponder às exigências da   Educação na província da Huíla e manifestou a disposição do governo em apoiar o ensino privado.
“Incentivamos outros empreendedores a seguir o exemplo e reafirmamos a nossa disposição para apoiar todos os que venham contribuir para a melhoria da qualidade de ensino. Vamos assegurar a distribuição de material didáctico e a capacitação metodológica dos professores”, disse Américo Chicoty.
O governador da província da Huíla, Isaac dos Anjos, convidou outros empresários a investir no sector da Educação, referindo que o governo não tem meios para levar o sistema de ensino a todas as localidades. “Os recursos são escassos, de maneira que o espaço para o sector privado está aberto. Os colégios têm uma possibilidade, visto que há uma população com rendimentos suficientes para suportar as despesas inerentes à formação académica e profissionais dos educandos”, disse Isaac dos Anjos .
O governador da Huíla disse que ficou surpreendido com a qualidade das estruturas do estabelecimento escolar, de iniciativa privada. Isaac dos Anjos afirmou que o colégio Cleusia Alexandra “é um modelo a seguir pelo sector privado”.

Tempo

Multimédia