Províncias

Ensino Superior tem necessidade de professores

A Universidade Mandume Ya Ndemofayo (UMN), da VI região académica nacional, correspondente às províncias da Huíla, Cunene, Namibe e Kuando-Kubango necessita, ainda este ano, de pelo menos 250 novos docentes para reforçar os distintos cursos leccionados na instituição.

A Universidade Mandume Ya Ndemofayo (UMN), da VI região académica nacional, correspondente às províncias da Huíla, Cunene, Namibe e Kuando-Kubango necessita, ainda este ano, de pelo menos 250 novos docentes para reforçar os distintos cursos leccionados na instituição.
O reitor em exercício da UMN na Huíla, Abraão Mulangui, sublinhou a falta de professores nos cursos de Biologia, Física, Química, Geografia, Agronomia, Computação, Construção Civil, Geologia, Mecânica, Informática, Minas e Veterinária. Actualmente, a Universidade Mandume Ya Ndemofayo conta com 276 professores que leccionam em diversas disciplinas, número considerado incipiente, dada a existência de 8.545 estudantes matriculados este ano.
“Já enviámos esta preocupação para os governos provinciais da Huíla, Namibe, Cunene e Kuando-Kubango, contudo, estamos a aguardar que a qualquer momento nos cedam o número de docentes referido, para que a UMN reforce cada vez mais a qualidade de ensino e aprendizagem que se pretende nesta sexta região académica”, disse. Interrogado sobre o andamento dos Institutos Superiores Politécnicos nas quatro províncias do país, reafirmou que o projecto está avançado e deve arrancar já no próximo ano.

Tempo

Multimédia