Províncias

Equipamentos reduzem assimetrias na Huíla

Estanislau Costa| Lubango

Pelo menos nove mil alunos do ensino primário do I e II ciclos na Huíla frequentam aulas em salas adequadas ao processo de ensino e aprendizagem, criadas através do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento e Combate à Pobreza.

Governo Provincial fez a entrega de material didáctico aos alunos do primeiro e segundo ciclo de ensino de várias regiões

O vice-governador para o sector Económico da província da Huíla, Sérgio da Cunha Velho, informou, na qualidade de coordenador do programa, que foram construídas e reabilitadas mais de 78 salas nos 14 municípios da província, incluindo as zonas mais recônditas. Foram ainda erguidas sete cantinas escolares nos municípios do Lubango, Gambos, Chipindo e Matala, que atende mais de 2.400 alunos, assim como uma casa em cada uma destas localidades para alojar os professores.
A diminuição do absentismo nas escolas da província começa a ter êxito, graças à aplicação do Programa de Merenda Escolar, que abrange 118 escolas.
“Caso alguns pais hesitem em mandar as crianças à escola, por certa carência, o Governo Provincial já criou as condições para que haja uma refeição condigna em cada estabelecimento”.
A prioridade da merenda escolar foi dada às localidades mais afectadas pela estiagem, que teve graves reflexos na produção agro-pecuária dos camponeses e na diminuição do rendimento familiar. Nestas áreas, a merenda está a ser reforçada para que as crianças não faltem às aulas.
Ao todo, 56.358 alunos das escolas do ensino primário recebem merenda com regularidade. Os professores e comissões de pais e encarregados de educação participam na escolha dos alimentos necessários às crianças. O Governo Provincial pretende que a merenda escolar abranja 528.031 alunos de diversas escolas, com destaque para as zonas rurais.
O coordenador Sérgio da Cunha Velho argumentou que a execução do programa Merenda Escolar está a dar indicadores positivos em relação à diminuição considerável do absentismo e desistência da escola, assim como a favorecer o aumento do aproveitamento escolar dos alunos.

Mais saúde

A assistência sanitária nos municípios, comunas e sectores da província da Huíla registou melhorias substanciais com a construção de 12 postos de saúde e reabilitação de 15 outros. As unidades sanitárias estão apetrechadas com equipamentos hospitalares modernos para assegurar a qualidade dos serviços de saúde.
Para facilitar a acomodação dos técnicos de saúde e médicos provenientes de outros pontos do país , para prestar serviço no interior da província, foram construídas sete moradias. “As novas casas facilitaram a contratação de enfermeiros e médicos da sede para trabalhar nos municípios e comunas”, esclareceu.
A mobilidade do pessoal de saúde e pacientes dos postos e centros de saúde para os hospitais de referência processa-se, agora, sem dificuldades, com a entrega de 31 ambulâncias e meios motorizados. Muitas vidas humanas são salvas com a transferência de pacientes dos municípios para o hospital central do Lubango.
Sérgio da Cunha Velho considerou positivas as acções executadas na Huíla, por solucionar alguns problemas das comunidades.  O responsável defendeu que o programa está a ter influência directa na vida das famílias e a reanimar o crescimento e desenvolvimento das zonas mais recônditas da província. "Entregamos escolas, casas para os professores e enfermeiros, sistemas de captação e abastecimento de água potável, energia eléctrica, postos e centros de saúde, ambulâncias, clubes culturais para a juventude, mercados rurais e outros”.

Água potável

Relativamente ao Programa "Água para Todos", foram erguidos 38 sistemas de captação e abastecimento em vários pontos, com prioridade para as zonas onde a falta cria problemas sanitários à população, beneficiando 89.098 famílias.

Tempo

Multimédia