Províncias

Escola Maria Mambo Café cria vagas

Estanislau Costa | Gambos

A entrega de novas escolas na comuna da Chibemba, 120 quilómetros a sul da cidade do Lubango, favoreceu o aumento do acesso de crianças ao processo de ensino.

Novos alunos inseridos no sistema de ensino na comuna de Chibemba beneficiaram igualmente do programa da merenda escolar
Fotografia: Eduardo Cunha

O mais recente estabelecimento de ensino, erguido numa zona rural da província da Huíla, com 12 salas, tem o nome de Maria Mambo Café, uma homenagem à mulher revolucionária recentemente falecida.
A escola tem capacidade para 1.600 alunos em três turnos e foi construída no âmbito do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento e Combate à Pobreza em curso na província. Custou 72 milhões de kwanzas.
Os alunos da Escola Maria Mambo Café têm merenda escolar. O soba dos Gambos, Francisco Kuvaliacuti, enalteceu a construção das escolas, postos e centros de saúde nas aldeias e comunas, porque aproximam os serviços básicos à população.
“O programa do Executivo veio em boa altura, por isso estamos a mobilizar os pais, as crianças e os jovens a darem prioridade à escola por ser o local que dá instrução e educação ao Homem do futuro. Só depois disso é que cada um deve ir pastorear os bois e cultivar”, disse.
O soba Francisco Kuvaliacuti informou que o absentismo escolar está a diminuir nas sanzalas, devido à merenda escolar.
 Os pais estão satisfeitos. O governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, garantiu, no acto da inauguração da Escola Maria Mambo Café, que cada município vai ser contemplado com 40 milhões de Kwanzas para custear as despesas da merenda escolar a fim de envolver mais crianças.Numa primeira fase, a merenda escolar vai contempla as zonas mais recônditas e afectadas pela seca, com realce para os municípios dos Gambos, Chibia e Quilengues.

Toneladas de sementes

Camponeses do município dos Gambos estão a trabalhar 22 mil hectares na presente campanha a­grícola. A chuva na localidade cai com regularidade o que fez aumentar o caudal do rio Caculuvar e as chimpacas estão cheias.
A Direcção Provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural distribuiu  aos caponeses 22 toneladas de sementes de milho, massango, massambala e feijão, além de alfaias agrícolas.
As autoridades tradicionais, igrejas e outras organizações da sociedade civil, têm sensibilizado a população para apostar no cultivo.
Os dados da Direcção da Provincial da Agricultura atestam que os resultados da produção e o rendimento das culturas são baixos comparativamente às campanhas agrícolas passadas.
Os camponeses colheram 142.­810 toneladas de milho, numa área de cultivo de 202.051 hectares, 18.661 toneladas de massango cultivados em 75 mil hectares e 21 mil toneladas de massambala em 18.­661 hectares.

Tempo

Multimédia