Províncias

Escolas de campo em Caculama

Sónia Maria | Caculama

O sector da Agricultura e Desenvolvimento Rural do município de Caculama vai criar escolas de campo, para assegurar a sustentabilidade alimentar nas comunidades e a obtenção de melhores rendimentos agrícolas.

Os camponeses da região vão aprender como combater as doenças nas culturas e como fazer adubações para aumentarem a produção
Fotografia: Benjamim Cândido

O director municipal da Agricultura, Felisberto Cerqueira, disse ao Jornal de Angola que o projecto visa também equilibrar a actividade dos camponeses da região e que vão ser identificados terrenos férteis para o êxito das acções programadas.
As escolas de campo vão servir para os camponeses aprenderem como combater as pragas, doenças nas culturas e como fazer adubações. Outras perspectivas do sector são a implantação de campos de multiplicação de estacas melhoradas de mandioqueiras resistentes à virose e a sua distribuição aos camponeses, a construção de um parque de máquinas para apoiar as associações, cooperativas e pequenos agricultores, a criação de uma zona fundiária na perspectiva de um pólo industrial para a prática de piscicultura nas margens dos rios Luchimbi, Mucari e Cuije.
As associações vão ser também estruturadas para enquadrar melhor as famílias camponesas. Os camponeses do município estão a produzir bastante, mas não o fazem em grande escala por falta de máquinas de lavoura, pelo que esperam o apoio do Governo na preparação de terras para o cultivo e do Instituto de Desenvolvimento Agrícola (IDA), na distribuição de sementes de cereais e hortícolas.
Felisberto Cerqueira afirmou que existem na região 80 associações e sete cooperativas, que se dedicam ao cultivo de mandioca, milho, feijão, inhame, batata-doce, batata rena e hortícolas.
O aumento da produção nas comunidades está entre as prioridades, para que as famílias camponesas possam ultrapassar as dificuldades causadas pela seca.

Tempo

Multimédia