Províncias

Especialistas angolanos e namibianos debatem temas sobre televisão digital

André Amaro | Lubango

Especialistas dos órgãos reguladores das telecomunicações de Angola e da Namíbia terminam hoje, na cidade do Lubango, província da Huíla, uma reunião técnica destinada a criar estratégias para a passagem da televisão analógica para digital, na região da África Austral.

O encontro foi promovido pelo Instituto Angolano das Telecomunicações e termina hoje
Fotografia: André Amaro | Lubango

Especialistas dos órgãos reguladores das telecomunicações de Angola e da Namíbia terminam hoje, na cidade do Lubango, província da Huíla, uma reunião técnica destinada a criar estratégias para a passagem da televisão analógica para digital, na região da África Austral.
Para esta reunião, foram agendadas questões relacionadas com o processo de coordenação de frequências da televisão analógica terrestre, nas zonas de fronteira entre Angola e a Namíbia.
Tal como recomendam as normas internacionais, nestas zonas devem ser tomadas medidas preventivas, de maneira a que os emissores de televisão colocados num país não provoquem interferências radioeléctricas.
Para o vice-governador para a área Económica e Produtiva, Sérgio da Cunha Velho, as radiofrequências, como veículo para o transporte sem fios de informações, não conhecem os limites fronteiriços entre países, daí a importância desta coordenação. />O gestor do espectro radioeléctrico da Namíbia, Melvin Angula, disse  que a reunião visa a coordenação de estratégias para a implantação da televisão digital terrestre em África, sem interferência nas fronteiras. “Estamos a assistir a um processo de iniciação de uma nova tecnologia em África, que é a televisão digital terrestre, e existe em todos os países a coordenação para que esta nova tecnologia não venha a causar interferências na sua aplicação”, afirmou o técnico namibiano. Melvin Angula explicou que vão abordar a gestão do espectro radioeléctrico, que é um recurso escasso para a longa fronteira entre Angola e a Namíbia, com grande importância económica e social.
Por isso, acrescentou Melvin Angula, todos os passos a serem dados são para trazer benefícios às populações de ambos os países. O encontro é uma organização do Instituto Angolano das Comunicações (INACOM).

Tempo

Multimédia