Províncias

Estrada do Namibe à Huíla em obras de reabilitação

Manuel de Sousa | Namíbe

As obras de reabilitação da estrada que liga o Namibe e o Lubango, passando pelo Chicolongilo, município da Bibala, ficam  concluídas este ano, informou ontem o director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA) do Namibe.

Empreitada começou há quatro anos com a colocação das guardas laterais e alargamento da via
Fotografia: Fula Martins

Osvaldo Fernandes  disse que a empreitada encontra-se a 96 por cento da sua execução física e que 64 quilómetros no troço da povoação do Chicolongilo e do município da Bibala já foram reabilitados, faltando 46 quilómetros do subtroço entre Bibala e Lubango, passando pela Serra da Humbia, considerado pelos automobilistas como zona crítica.
A empreitada, a cargo da construtora nacional AFA, começou em 2012 e nesta altura trabalha-se na colocação das guardas laterais, tratamento dos talos, encostas, em alguns casos alargamento da estrada, acompanhados com trabalhos de pavimentação na Serra da Humbia, informou Osvaldo Fernandes .
Quanto aos prazos previstos para a entrega da obra, Osvaldo Fernandes disse que a empreitada teve alguns desvios da programação inicial, pois surgiram novos trabalhos que a primeira nota técnica fornecida não contemplava, como elementos de drenagem, desvio de traçado para a melhoria da malha rodoviária, mas mesmo assim estão dentro dos prazos que são de trinta meses.
A obra, disse o director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola, tem  características de integração na malha rodoviária regional entre as províncias do Namibe, Huíla e Cunene e também será uma alternativa da Estrada Nacional 280, que passa pela Serra da Leba. Respondendo à questão segundo a qual os camionistas deixam de usar a Estrada Nacional 280 devido aos danos que provocam e também para reduzir o número de acidentes, Osvaldo Fernandes  disse que o objectivo é dar melhor condição à rede de estrada fundamental, no caso a primária, e todo o esforço é para a ampliação da rede, sem restrições. Osvaldo Fernandes  informou que há casos em que a redução se impõe, referindo-se em concreto às zonas urbanas, onde algumas ruas não estão tratadas para receber tráfego acima de 3.5 toneladas.
Quanto à manutenção e conservação do troço em reabilitação e outros, Osvaldo Fernandes disse que passam primeiro por um período de garantia, findo o qual se retira  a responsabilidade ao empreiteiro e o assunto passa para a esfera da conservação das estradas.
As fases de construção e a de conservação não pertencem ao Instituto Nacional de Estradas de Angola, que actualmente passa por um período de organização, disse Osvaldo Fernandes que se referiu à rede fundamental de estradas que ligam capitais de províncias, municípios sedes, vários pólos regionais, tendo garantido que aquilo que não foi possível cumprir no ano transacto vai ser executado na presente temporada.
O director provincial do INEA apela aos automobilistas a cumprirem, escrupulosamente, as regras de trânsito, respeitando as zonas de obras e os limites de velocidade.
Osvaldo Fernandes exortou os automobilistas que transportam cargas pesadas no sentido de andarem sempre munidos de todo equipamento e fazerem sempre uma intervenção mecânica nos veículos antes de entrarem nas vias, para se evitar danos na estrada, vítimas humanas e danos materiais.

Tempo

Multimédia