Províncias

Estudantes trocam experiências na Namíbia

Arão Martins | Lubango

Procurar experiências académicas e assegurar um maior associativismo vai levar, a partir do próximo dia 3 de Agosto, um grupo de 150 estudantes do Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED) da província da Huíla até à Namíbia.

Excursão leva jovens do Instituto Superior de Ciência da Educação ao país vizinho
Fotografia: Arão Martins | Lubango

O presidente da Associação dos Estudantes do ISCED na Huíla, Henriques Domingos, disse na quinta-feira que, durante a estadia na Namíbia, os universitários angolanos vão encontrar-se com colegas do Instituto Superior Politécnico e da Universidade Pública da Namíbia (UNAM), até ao dia 7 de Agosto.
A excursão académica vai incluir estudantes dos 14 cursos ministrados pelo ISCED, para que os jovens possam regressar à província com novas visões sobre a organização estudantil, entre outras questões.
O contributo dos jovens em acções destinadas ao desenvolvimento da Huíla, da região sul e do país em geral, é outro objectivo da excursão, a primeira na história da instituição.
O Instituto Superior Politécnico e a Universidade Pública da Namíbia (UNAM) são instituições de referência, daí a necessidade de reforçar as relações entre os dois países, neste âmbito.
Henriques Domingos explicou que foram assinados vários acordos entre os dois países e o ensino superior foi uma das áreas incluídas nesses protocolos. “Vamos aproveitar as vantagens que eles nos proporcionam para trocar experiências em questões académicas, culturais e de associativismo”, disse.
Os jovens angolanos tencionam transmitir aos seus colegas namibianos o potencial histórico da formação de quadros do ISCED, no âmbito do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND). Além disso, pretendem esclarecê-los sobre a cultura das comunidades da região sul de Angola, que tem muitas semelhanças à as populações do norte da Namíbia. O presidente associativo referiu ainda que esta viagem vai servir para transmitir um certo calor aos estudantes angolanos que frequentam a UNAM e a Escola Politécnica, nos ramos de Engenharia Electrotécnica, Mecânica e Metalúrgica, Informática e Construção Civil.
"Vamos dizer aos angolanos que ali estão a estudar que, actualmente, o país oferece oportunidades para os jovens em várias áreas", salientou.
Neste ano académico, o Instituto Superior de Ciências da Educação matriculou mais de sete mil estudantes em 14 cursos.

Tempo

Multimédia