Províncias

Falta de assistência dos pais aos filhos continua a inquietar

Um total de 35 casos de falta de assistência dos pais para com os filhos foi registado no segundo trimestre deste ano, pelo departamento de políticas familiares da Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher, na Huíla.

Este número resulta de um universo de 111 queixas de violência doméstica que chegaram àquela direcção. A chefe de departamento de políticas familiares do MINFAMU, Cristina Evaristo, disse à Angop que, ainda assim, houve uma redução de 13 casos.
Chegou igualmente ao conhecimento daquela instituição, durante o mesmo período, outros casos de violência doméstica, com maior realce para espancamentos, fuga à paternidade, falta de assistência aos filhos de pais separados, ofensas corporais, morais, privação de bens, adultério, entre outros.
Neste contexto, a direcção provincial da Família e Promoção da Mulher, em parceria com outras organizações afins e igrejas, estão a realizar actividades de sensibilização e mobilização, com o objectivo de apelar à consciência da sociedade desencorajando tais práticas. “A par disso, estamos a distribuir cartilhas que contêm mensagens de educação sobre os métodos de diálogo para que, no futuro, cada um se paute por uma cultura de respeito pela diferença e, nessa altura, dar-se continuidade à reconstrução do país sem sobressaltos”, disse.
No primeiro trimestre deste ano, cerca de 42 casos de falta de assistência de pais para com filho foram registados na província da Huíla, de um universo de 330 de violência doméstica notificados.

Tempo

Multimédia