Províncias

Falta de diálogo tem reflexos negativos no seio das famílias

Domingos Mucuta| Lubango

O sociólogo Francisco Cambanda afirmou, quarta-feira, na cidade do Lubango, que a falta de cultura de diálogo no seio das famílias, principalmente entre pais e filhos, tem reflexos negativos na educação e instrução das pessoas e na sociedade.

O sociólogo Francisco Cambanda afirmou, quarta-feira, na cidade do Lubango, que a falta de cultura de diálogo no seio das famílias, principalmente entre pais e filhos, tem reflexos negativos na educação e instrução das pessoas e na sociedade.
Francisco Cambanda sublinhou que, na relação entre pais e filhos, o diálogo deve ser uma prática constante, por ser principal via de interacção entre as pessoas.
“É preciso que pais e filhos conversem muito, e de forma amigável, para que se ultrapassem determinados tabus”, referiu.
O sociólogo frisou que a família é o núcleo fundamental da sociedade, onde o indivíduo ganha maturidade e projecta a personalidade para a inserção social, havendo necessidade do reforço dos laços para harmonia dos grupos sociais.
“Os feitos das famílias têm reflexos nas sociedades. Se prevalecer o diálogo é mais fácil conhecermos os problemas, as falhas ou dificuldades. O cidadão começa a sua socialização num núcleo familiar, onde recebe bons princípios éticos e morais”, disse.
 Se os membros de um grupo familiar primarem pela ditadura, referiu, a tendência é transportar estas características para o relacionamento na sociedade.
Os casos de divórcios entre casais, brigas familiares, violência doméstica, conflitos laborais e desentendimento no trânsito, entre outros, são exemplos concretos da pouca cultura de diálogo.

Tempo

Multimédia