Províncias

Famílias têm apoio das autoridades

Arão Martins |Lubango

O director provincial da Agricultura e do Desenvolvimento Rural da Huíla, Lutero Campos, informou que 119 mil famílias camponesas foram apoiadas pelo governo na época agrícola 2010/2011.

O director provincial da Agricultura e do Desenvolvimento Rural da Huíla, Lutero Campos, informou que 119 mil famílias camponesas foram apoiadas pelo governo na época agrícola 2010/2011.
Os camponeses receberam instrumentos de trabalho, sementes e fertilizantes no quadro do programa de combate à pobreza. A informação foi divulgada no encontro técnico de concertação com o vice-governador provincial da Huíla, para o sector Económico, Sérgio Velho. Lutero Campos disse que o Governo Provincial da Huíla tenciona igualmente apoiar, em breve, as restantes 29.768 famílias que estão incluídas no plano, totalizando 148.815 famílias ajudadas a sair da pobreza.
O responsável provincial da Agricultura especificou que do total de famílias, 77.380 são apoiadas pelo programa de extensão e desenvolvimento rural, 35.385 pelo fomento agrícola e 6.282 pelas organizações não-governamentais sedeadas na província.
Lutero Campos informou que as famílias estão agrupadas em 158 cooperativas e 623 associações de camponeses. O director provincial da Agricultura salientou que a produção obtida pelos camponeses dos 14 municípios da província da Huíla, na época agrícola de 2010/2011 foi satisfatória, devido apoios técnicos e financeiros obtidos.
Os camponeses assistidos colheram 242.466 toneladas de cereais e 16.218 toneladas de legumes, o que superou a cifra da época anterior. Da produção, 60 por cento foi destinada à comercialização, 30 porcento ao consumo das famílias camponesas e dez por cento para reserva de sementes.
O município com maior produção para venda foi Caluquembe, com 28.308 toneladas de milho, 4.273 de feijão, 1.240 de batata e 2.656 de hortofrutícolas. A produção de produtos comercializáveis no município de Caconda foi de 28.714 toneladas de milho, 2.628 toneladas de feijão, 1.208 de batata e 2.472 de hortofrutícola.
Chicomba produziu 32.388 toneladas de milho, 2.850 de feijão e 776 batata. O município da Matala produziu 25.197 toneladas de milho e 2.341 de feijão, enquanto os níveis de batata foram superiores mas não estão ainda contabilizados.
Lutero Campos informou que a cultura do feijão, durante a campanha agrícola 2010/2011 caiu em relação às colheitas anteriores, devido ao excesso de chuva. Quase 40 por cento da área semeada do feijão apodreceu devido à elevada humidade nos solos.No que diz respeito ao gado bovino, Lutero Campo sublinhou que dos bovinos registados, foram comercializados 109.907, correspondente a 60 por cento do total do efectivo pecuário. Foram também vendidos 112.710 suínos e 47.280 aves de capoeira.

Tempo

Multimédia