Províncias

Festas da Senhora do Monte animam o Lubango

Estanislau Costa | Lubango

Os arquitectos das Festas da Nossa Senhora do Monte, decorrem no Lubango até ao final do mês, devem sentir-se orgulhosos por terem criado um evento que propicia, a cada ano, novas oportunidades de negócios e de recreação.

A procissão com o transporte da imagem da Nossa Senhora da Assunção é realizada desde 15 de Agosto de 1930
Fotografia: Estanislau Costa

Os arquitectos das Festas da Nossa Senhora do Monte, decorrem no Lubango até ao final do mês, devem sentir-se orgulhosos por terem criado um evento que propicia, a cada ano, novas oportunidades de negócios e de recreação.
Lubango fica ao rubro durante o mês da festa, apesar da tolerância de ponto ser apenas no dia 15, dedicado à padroeira da cidade.
A abertura oficial da presente edição das Festas da Nossa Senhora do Monte foi no sábado. 
No complexo turístico da Nossa Senhora do Monte foram criadas condições para proporcionar momentos inesquecíveis a quem lá for, com, entre outros atractivos, carrosséis, restaurantes, lanchonetes e jogos de quino.
Crianças e adolescentes desfrutam, aos fins-de-semana, dos barcos no lago do jardim da Senhora do Monte, dos baloiços, do ar fresco e puro, das flores e dos enormes cedros e eucaliptos.
O ambiente das festas faz esquecer o Cacimbo, já próximo do fim. A zona da Nossa Senhora do Monte é a mais fria da cidade do Lubango, com uma temperatura mínima média de 3 graus centígrados.
            
Feiras com inovações

Os organizadores das festas introduziram, este ano, algumas inovações no programa. Na VII Feira Agro-Pecuária da Huíla, a entidade promotora, a Cooperativa dos Criadores de Gado do Sul de Angola (CCGSA), além da exposição e leilão de animais, promove, entre os dias 11 e 15, colóquios sobre parasitologia, avicultura e suinicultura tropical. O programa inclui também as segundas jornadas técnicas sobre gado bovino e o intercâmbio de experiência entre criadores.
A ideia é transmitir as técnicas de cruzamento com touros de raça para melhorar o gado bovino da região Sul. As 24 fazendas participantes, com destaque para NNN, Achor, Agro-Sol, Caimone, Jamba e Angostrich, vão colocar a leilão mais de 500 animais diversos, com destaque para o gado bovino.
O leilão deve atrair criadores das províncias do Namibe, Benguela, Luanda, Huambo e Bié. Os organizadores calculam que os negócios ascendam a mais de um milhão de dólares.
O criador António Barros, do Bié, já está no Lubango para participar, como cliente, na VII Feira Agro-Pecuária da Huíla. Sem revelar o valor monetário disposto a investir, disse, ao Jornal de Angola, que tenciona “adquirir 40 cabeças de gado para criação”. António Barros, que vem, pela terceira vez, à feira do Lubango, “para adquirir gado de qualidade”, considera acessíveis os preços dos animais e “as novilhas boas para reprodução”.
O repovoamento animal na província do Bié, disse, decorre sem sobressaltos, na medida em que o gado bovino, caprino e suíno está a adaptar-se bem ao clima, pasto e água.  “A província perdeu parte do rebanho com a guerra, o que exige dos empresários maior esforço para repor os animais perdidos”, afirmou. O criador elogiou o apoio dos bancos comerciais, ao financiarem projectos agro-pecuários e possibilitarem o repovoamento animal com a aquisição de gado bovino principalmente da região Sul do país, do Brasil e da África do Sul. António Barros disse que há muito que não perde uma feira agro-pecuária no Lubango, “pois é uma escola de boas experiências” entre criadores da Huíla, Namibe, Cunene, Namíbia e Brasil.
 
Empreendedores na Expo-Huíla

Os efeitos do espírito empreendedor da classe empresarial da província estão à vista. O contributo da Huíla ao desenvolvimento socioeconómico de Angola está patente na Expo-Huíla.
A Associação Agro-Pecuária Comercial e Industrial da Huíla (AAPCIAL), organizadora da Expo-Huíla 2010, a realizar entre os dias 18 e 22, vai reunir, pela primeira vez, 130 empresas nacionais e estrangeiras. Comparativamente à edição do ano passado, há mais 35 participantes. O presidente da AAPCIAL, António de Lemos, disse, ao Jornal de Angola, que o recinto da Expo está lotado e que “muitas empresas que manifestaram interesse em participar, quase na véspera, aguardam por desistências”.
A maior bolsa de negócios da região Sul do país vai, desta vez, reunir, além de expositores angolanos, estrangeiros, vindos de Portugal, Namíbia, Gana, África do Sul, Alemanha, Itália e China. Entre os produtos expostos, salientam-se os do ramo da construção civil, transportes, telecomunicações, indústria, construção civil e agricultura.
 
Memórias do 15 de  Agosto
 
A primeira Festa da Nossa Senhora do Monte, segundo a revista “Vozes do Lubango”, da Arquidiocese, com data de 15 de Agosto de 2002, pode ter sido comemorada pelos colonos madeirenses em Agosto de 1902.
Para melhorar os preparativos da efeméride, em 3 de Fevereiro de 1924 foi eleita a comissão que organizou as festas até 1929. 
A primeira procissão, com o transporte da imagem da Nossa Senhora de Assunção, realizou-se em 15 de Agosto de 1930, quando uma nova comissão, empossada no dia 30 de Março do mesmo ano, organizou as tradicionais festas. 
O trajecto da procissão, naquela época, começava na capela e terminava no Parque, tendo em conta a idade e o estado de saúde de muitos devotos, que não conseguiam escalar as escarpas do monte.
Hoje, perdura a procissão no dia 15 de Agosto. Nossa Senhora da Assunção foi consagrada, pelos madeirenses, como a padroeira da cidade de Sá da Bandeira, actualmente Lubango.O 15 de Agosto atrai pessoas da diáspora, com raízes na Serra da Chela. Acorrem ao local pessoas provenientes da Madeira (Portugal), São Paulo (Brasil) e de outros pontos do mundo.

Tempo

Multimédia