Províncias

Formação na Huíla em pós-graduação

André Amaro | Lubango

Um total de 21 médicos da região sul do país frequenta, desde o último trimestre do ano passado, no hospital central do Lubango, o curso de pós-graduação em medicina, promovido pelo Ministério da Saúde.

O coordenador Zola Diakusekele
Fotografia: Arimateia Baptista|Huíla

Um total de 21 médicos da região sul do país frequenta, desde o último trimestre do ano passado, no hospital central do Lubango, o curso de pós-graduação em medicina, promovido pelo Ministério da Saúde.
Na formação, orientada por professores cubanos e angolanos, participam médicos vinculados aos hospitais pediátrico, militar, da polícia e maternidades das províncias da Huíla, Cunene e Namibe.
O coordenador da pós-graduação do hospital central do Lubango, Zola Diakusekele, esclareceu que a formação está ligada às áreas de clínica geral, pediatria, ginecologia, obstetrícia e medicina interna hospitalar.
O responsável adiantou que as especialidades de clínica geral e pediatria têm a duração de três anos, enquanto as restantes cinco, conforme ficou estabelecido pelo Conselho Nacional de Pós-graduação e o Ministério da Saúde.
“As condições em termos de espaço, material de apoio, professores estão criadas para que se realize uma formação médica de qualidade, para responder as exigências”, frisou o coordenador.
Zola Diakusekele disse, também, que além das aulas teóricas, os médicos prestam serviço nos bancos de urgência, assistem as enfermarias e participam nas reuniões matinais e em todos actos científicos do hospital.
Para o êxito da formação, disse, tem havido troca regular de experiência com os médicos das províncias de Luanda e Huambo, que já têm alguma experiência em cursos de pós-graduação e formação superior em medicina. Anunciou para os próximos anos o alargamento para a especialidade de anatomia patológica e outras áreas que ainda necessitam de especialistas, para dar resposta aos casos que vão surgindo a nível da região.
Além das pós-graduações, o hospital central está a proporcionar estágios para os estudantes da Faculdade de Medicina do Lubango, Escola Técnica Profissional de Saúde, Instituto Superior Politécnico Tundavala e de outras instituições sediadas na província. Os serviços de hemodiálise do hospital central do Lubango começam a funcionar antes do final do primeiro semestre deste ano, estando, nesta altura, a ser criadas todas as condições e a ser formados os técnicos que vão operar os equipamentos a instalar.
“Neste momento aguarda-se a chegada dos equipamentos técnicos, que já se encontram em Luanda, e da equipa para a sua montagem”, disse Zola Diakusekele, notando que a entrada em serviço dos serviços de hemodiálise vai reduzir os custos com deslocações de pacientes para a capital Luanda ou exterior do país.
O hospital central do Lubango funciona com vinte e cinco serviços médicos, entre cardiologia, dermatologia, neurologia, ortopedia, maxilofacial, cirurgia, pediatria, urologia, radiologia, electrocardiograma, medicina interna, cirurgia geral, estomatologia, neurocirurgia, oftalmologia, urologia e ginecologia.

Tempo

Multimédia