Províncias

Fraca educação ambiental contribui para a proliferação do lixo plástico

Domingos Mucuta | Lubango

A fraca educação ambiental da população na província da Huíla é uma das principais razões para o depósito desregrado de lixo  plástico em locais impróprios, e consequentemente  a degradação do ambiente e da imagem das cidades, afirmou, ontem, no Lubango, o director da Associação Cristã Crescer Angola (ACCA).

Exposição de produtos à base de plásticos na cidade do Lubango juntou jovens das províncias da Huíla e de Benguela
Fotografia: Arimateia Baptista | edições novembro | lubango

Moisés Monteiro, que falava durante o lançamento do projecto de “Combate ao Lixo Plástico” na província da Huíla, disse que a população tem de ser educada a preservar o   ambiente, através de campanhas de sensibilização.
“Temos de encontrar mecanismos eficazes para evitar  amontoados de resíduos sólidos na cidade”, disse o responsável.
O director da Associação Cristã Crescer Angola defende a realização sistemática de campanhas de sensibilização e de educação “para a elevação da consciência ambiental dos cidadãos, no sentido de se prestar mais atenção às questões de protecção e de conservação do ambiente”.
 O Projecto de Combate ao Lixo Plástico visa, essencialmente,  inverter o quadro actual do ambiente através de campanhas de sensibilização e  actividades de reciclagem manual de plástico, para mostrar à sociedade  o processo de reaproveitamento dos materiais de plástico, transformados em utensílios decorativos.

Exposição
Representantes da associação cristã das províncias de Benguela e da Huíla  participaram numa exposição, na praça pública adjacente a Universidade Mandume ya Ndemofayo, onde apresentaram materiais como cestos, pastas, vasos, porta-chaves, estojos de lápis e de esferográficas, anéis, reflectores , quadros, bases, pulseiras e outros cascões de plástico.
 Os expositores da associação apresentaram ao público várias fórmulas  para diminuição do excesso de lixo e consequentemente dos danos irreversíveis no clima e no ar. “As cidades estão desfiguradas por causa  da enorme quantidade de lixo plástico  depositado em sítios inadequados. O plástico prejudica sobremaneira o ecossistema, desfigura  cidades e provoca danos incalculáveis”, realçou  Moisés Monteiro.
 “É por esta razão”, prosseguiu o responsável, “que  a associação que dirijo está a sensibilizar a sociedade huilana para aumentar a consciência ambiental e alertar sobre os perigos do lixo plástico. Membros da associação estão a distribuir cartilhas com mensagens informativas sobre os danos que  este tipo de lixo  provoca ao ser humano, animais e às plantas”.
 Para o responsável, o processo de combate à proliferação do lixo plástico em Angola “é ainda muito fraco por falta de medidas concretas”, por isso tem de se aumentar os preços dos materiais de plástico que são utilizados no mercado nacional, para desencorajar o seu uso irracional.
A Associação Cristã Crescer Angola (ACCA) é uma associação juvenil sem fins lucrativos, fundada a 22 de Fevereiro de 2003, com o objectivo de cooperar com o Executivo na promoção do desenvolvimento comunitário  e educar as populações sobre a protecção e preservação do  ambiente. Desde a sua fundação realiza actividades viradas à educação ambiental.

Tempo

Multimédia