Províncias

Galangue já tem água canalizada

André Amaro| Galangue

 Os 2.500 habitantes da sede comunal do Galangue, município do Cubango (Huíla), estão a consumir água canalizada desde o passado mês de Janeiro, graças à construção de um sistema moderno de captação, armazenamento, tratamento e distribuição, no âmbito do programa “Água para Todos”

O fornecimento de água é feito sem interrupções e já permitiu reduzir as doenças
Fotografia: André Amaro

 Os 2.500 habitantes da sede comunal do Galangue, município do Cubango (Huíla), estão a consumir água canalizada desde o passado mês de Janeiro, graças à construção de um sistema moderno de captação, armazenamento, tratamento e distribuição, no âmbito do programa “Água para Todos”
O sistema, que custou cerca de 19 milhões de kwanzas, tem capacidade para armazenar 30 mil litros de água bombeada para os domicílios, através de corrente eléctrica produzida por placas solares e um grupo gerador como fonte alternativa.
O administrador comunal do Galangue, Fernando Cambinda, explicou que, para a instalação do sistema, foi reabilitado e ampliado um tanque reservatório deixado pelas autoridades coloniais, que é alimentado por uma pequena nascente.
 Além disso, foi instalado um sistema de tratamento para melhorar a qualidade da água e montada uma rede de canalização com uma extensão de quase quatro quilómetros, com respectivos contadores.
O fornecimento de água é feito sem interrupções e já permitiu reduzir as doenças mais frequentes resultantes do consumo de água imprópria, como as diarreias e a cólera, e as alergias cutâneas.
 Antes da instalação deste sistema, as pessoas consumiam água das cachimbas, poços e rios, com as consequências inerentes para a saúde. Para a autoridade tradicional, Nicolau Kassanga, entre outras vantagens, o sistema evita que as pessoas tenham de percorrer longas distâncias para acarretar água sem qualidade.  A canalizada, disse, além de servir para o consumo humano, lavagem da roupa, higiene da casa, também pode ser aproveitada para irrigação de pequenas lavras e para dar de beber ao gado.

Tempo

Multimédia