Províncias

Garantidas novas e amplas instalações na Huíla

Arão Martins | Lubango

Um campus universitário, com capacidade para 20 mil estudantes, vaiser construído, nos próximos tempos, pelo Governo Provincial da Huíla, garantiu o reitor em exercício da Universidade Mandume ya Ndemufayo. Abraão Mulangi. O projecto de construção do campus universitário já está concebido e permite responder às necessidades da província.

Uma das novidades para a província do Cunene é a introdução do curso de Informática que responde às necessidades dos estudantes
Fotografia: Arimateia Baptista|Lubango

Um campus universitário, com capacidade para 20 mil estudantes, vaiser construído, nos próximos tempos, pelo Governo Provincial da Huíla, garantiu o reitor em exercício da Universidade Mandume ya Ndemufayo. Abraão Mulangi. O projecto de construção do campus universitário já está concebido e permite responder às necessidades da província.
A concretização do projecto, referiu  o responsável da instituição, vai permitir aumentar o número de estudantes, para satisfazer a procura que se regista actualmente.
Abraão Mulangi disse que o projecto, além do campus universitário, prevê também a construção de outras infra-estruturas de menor capacidade para as restantes províncias da região académica do sul.
O primeiro projecto vai ser executado na província do Kuando-Kubango, onde se iniciou, em meados do ano passado, a construção do campus universitário, indicou o reitor em exercício.
 “As nossas capacidades têm estado muito aquém da procura. Se admitimos só 60 candidatos na área da Medicina, para uma procura de mil candidatos, significa que estamos muito longe da resposta necessária”, disse. No Orçamento Geral do Estado, pela primeira vez, a Universidade Mandume ya Ndemufayo está contemplada.

Vagas multiplicadas


O número de vagas na Universidade Mandume ya Ndemufayo vai triplicar neste ano académico, revelou o reitor em exercício, lembrando que o número de vagas aumentou, de 716 para 2.276, no ano académico prestes a arrancar. O aumento de vagas, sublinhou, deve-se à abertura, este ano, do Instituto Superior Politécnico da Huíla e as faculdades de Medicina, Direito e Economia.
 O reitor em exercício esclareceu que, para o ano académico 2013, a Faculdade de Direito tem disponíveis 100 vagas, sendo 30 no período diurno e 70 no pós-laboral. A Faculdade de Economia recebe 160 estudantes, repartidos em 80 no diurno e igual número no pós-laboral, enquanto a Medicina vai admitir 60 alunos, todos no diurno. Para o ano académico preste a começar, as escolas superiores politécnicas e pedagógicas do Namibe têm disponíveis 170 e 391 vagas.
A Escola Superior Politécnica do Cunene, que ministra cursos de Biologia, Enfermagem, Laboratório de AnálisesClínicas,Informática,Agronomia, Biologia e Agronomia tem disponíveis 315 vagas e destas 175 são para o período diurno. A Escola Superior Politécnica do Kuando-Kubango tem cursos de Biologia, Matemática, Enfermagem e Informática. Para o ano lectivo 2013, a instituição criou 280 novas vagas. O reitor em exercício da Universidade Mandume ya Ndemufayo referiu que, no cômputo geral, para o presente ano lectivo vão ser matriculados 8.545 estudantes nas várias unidades orgânicas. 
A Universidade Mandume ya Ndemufayo alberga também, pela primeira vez, o acto de abertura do Instituto Superior Politécnico da Huíla, com 800 vagas nos cursos de engenharia, o que permitiu aumentar o número de vagas.
 
Inscrições com normalidade

O processo de inscrições nas diversas unidades orgânicas da Universidade Mandume ya Ndemufayo decorrem sem problemas, garantiu o reitor.
Abraão Mulangi assegurou que o ano académico abre oficialmente em Março e as condições estão a ser criadas para que este acto corra com normalidade. Para o ano académico 2013, a Universidade Mandume ya Ndemufayo conta com 89 salas, distribuídas pelas faculdades de Direito, Economia, Medicina, pelo Instituto Superior Politécnico e escolas superiores politécnica e pedagógica do Namibe.
As salas estão distribuídas também pelas escolas superiores politécnicas do Kuando-Kubango e do Cunene, disse Abraão Mulangi.

Engenharia é prioridade


Para a província da Huíla, a prioridade recaiu nos cursos de Engenharia, por serem áreas que, de forma imediata, vão formar quadros que podem contribuir com o seu saber para o desenvolvimento do país. Para os estudantes do Cunene, Abraão Mulangi indicou haver como novidade a abertura de um curso de Informática de Gestão.
O curso vai, de forma directa, responder às necessidades dos estudantes que terminam o ensino médio de Administração e Gestão e precisam de dar continuidade á formação, em Ondjiva.

Tempo

Multimédia