Províncias

Governo aposta na redução de assimetrias

André Amaro | Lubango

O Programa de Desenvolvimento Local, em curso nos municípios do Lubango, Chibia, Caconda e Quilengues,  vai privilegiar a redução das assimetrias locais e regionais de acordo com o Estágio do Planeamento Estratégico Municipal.

Membros das administrações municipais participaram no seminário realizado no Lubango
Fotografia: André Amaro

A decisão foi tomada num seminário provincial de lançamento do estágio dois do planeamento estratégico, que reuniu administradores municipais adjuntos e responsáveis das repartições da Educação, Agricultura e Saúde.
A iniciativa, promovida pelo Fundo de Apoio Social (FAS) na Huíla, destinou-se a fazer o balanço das actividades desenvolvidas no estágio um e a perspectivar acções a serem executadas para o alcance das metas preconizadas.
O administrador municipal adjunto da Chibia disse que  o objectivo é melhorar o acesso e a qualidade dos serviços sociais básicos, fortalecimento humano e institucional ao nível local.
Jai Frederico sublinhou que “o aumento da voz do cidadão e a tomada de decisão na gestão da coisa pública, o reforço dos activos de famílias pobres e melhorar o ambiente viável para prestação de serviço são medidas que as administrações têm em conta”.
O director provincial do FAS/Huíla referiu que o encontro vai servir para definir as linhas mestras do estágio dois e das etapas que vão levar à feitura conjunta e participativa do perfil municipal e do plano de desenvolvimento dos municípios. Federico Sadombote afirmou que o plano de desenvolvimento dos municípios é um instrumento importante para a gestão efectiva e transparente dos municípios, assim como uma forma de uniformizar os distintos programas.

Gestão participativa

A participação dos concelhos de auscultação e concertação social na tomada de decisão da execução dos diferentes projectos de impacto social a nível das comunas, sectores e aldeias, disse, é uma forma de gestão participativa da coisa pública.
A Administradora Municipal da Chibia declarou que “os conselhos representam a voz do povo por serem constituídos por entidades religiosas, tradicionais, partidárias e singulares, que exprimem o desejo da maioria”. A administradora Otília Nolote  disse que todos os projectos e programas que o governo provincial da Huíla  pretende executar são levados aos conselhos para análise, contribuições e tomada de decisão, sobretudo nas acções dos Programas de Combate à Pobreza, Cuidados Primários de Saúde e de Água para Todos.
O administrador municipal adjunto de Caconda recordou que os conselhos de auscultação e concertação social têm servido de parceiros do Governo Provincial para diminuir as assimetrias nas comunas, aldeias e sectores.
Tomás Chimbamba referiu que a nível de Caconda, os membros do conselho costumam ter papel importante na resolução dos problemas sociais básicos das comunidades rurais.

Tempo

Multimédia