Províncias

Governo constrói barragens para combater seca

Domingos Mucuta | Lubango

O Governo Provincial da Huíla deu início, nos municípios dos Gambos, Chibia e Lubango, ao programa de construção de barragens, destinadas a acumular água nos tempos de abundância, para ser utilizada nos momentos de escassez.

Obras começaram com a colocação da primeira pedra pelo governador Provincial da Huíla João Marcelino Tyipingue
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

As obras, iniciadas oficialmente com a colocação da primeira pedra pelo governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipingue, são realizadas sobre os rios Caculuvar, na localidade de Nongelo (Gambos), na zona do Mucoco, comuna da Arimba (Lubango) e no leito de Nompombo, na Quihita (Chibia).  A construção das barragens vai permitir a retenção geral de cerca de 611 milhões de metros cúbicos de água, com vista a fazer face às estiagens cíclicas registadas nos últimos anos.
A infra-estrutura do município de Nongelo, com cerca de 16 metros de altura, é construída numa área de 11 hectares e vai acumular cerca de 400 milhões de metros cúbicos de água.
A mini hídrica da localidade de Arimba, que ocupa uma extensão de 230 hectares, vai possuir 16 metros de altura e uma área de inundação com capacidade para cerca de 11 milhões de metros cúbicos de água.  A barragem de Nompombo, na Chibia, projectada numa área de inauguração de 2.270 metros quadrados, vai ter uma altura de 19 metros e capacidade para reter, no tempo chuvoso, cerca de 200 milhões de metros cúbicos.
A primeira fase das obras das três empreitadas, consignadas a uma empresa de engenharia e construção da província, vai durar 12 meses, disse ao Jornal de Angola o director do Gabinete de Estudos e Planeamento do Governo Provincial da Huíla, António Ngongo, que acrescentou que os três empreendimentos hidrográficos são projectados para produzirem energia no futuro.
António Ngongo esclareceu que As empreitadas são executadas faseadamente em cinco anos. Cada fase tem custos diferenciados e mais de metade já está inscrita no orçamento do próximo ano.
Os projectos contemplam também a criação de campos agrícolas, sistemas de irrigação e de distribuição de água às populações circunvizinhas.
O administrador municipal dos Gambos, Elias Sova, destacou a importância da barragem em construção na localidade, uma vez que vai criar condições de distribuição de água às populações e para a prática de agricultura.

Tempo

Multimédia