Províncias

Governo constrói dezenas de pontos de água

André Amaro | Lubango

O Governo Provincial da Huíla vai constituir, em breve, 20 pontos de água no município dos Gambos, para acudir as populações afectadas pela seca, anunciou a vice-governadora para a  área política e social, Maria João Tchipalavela.

São reabilitados e construídos vários sistemas de captação para que a população deixe de percorrer longas distâncias em busca de água
Fotografia: Jornal de Angola

A responsável, que falava durante a entrega de um donativo pela Associação de Jovens Angolanos Provenientes da República da Zâmbia (AJAPRZ), disse que, por a situação de seca na região não ser nova, as autoridades provinciais estão a projectar medidas pró-activas.
Essas medidas incluem a antecipação das sementeiras e o aproveitamento racional das chuvas.
O administrador municipal dos Gambos, Elias Souva, disse que foi já realizado, por uma empresa contratada pelo Governo Provincial, um estudo das reservas de água na região, com vista à execução do projecto. Maria João Tchipalavela e Elias Souva respondiam assim à preocupação apresentada pelo ancião José Muilipo, da localidade de Chiange Velho.
Depois de agradecer o gesto da AJAPRZ, cujo donativo, em bens alimentares e outros artigos diversos, vai atenuar em grande medida a fome, durante os próximos dias, referiu que a falta de chuvas provocou a diminuição do caudal do rio Caculuvali, que passa pelo município, baixando de modo considerável os níveis nas cacimbas, chimpacas, represas e outras reservas de água. Em função disso, as pessoas e o gado começaram a passar sede e fome, disse José Muilipo.
A estiagem no ano passado prejudicou as culturas de milho, massango, massambala, feijão e outros produtos agrícolas, o que afectou as reservas alimentares da população.

Acção da AJAPRZ


O seculo pediu às autoridades governamentais e parceiros sociais do Governo apoio para as populações, com bens alimentares, mas também em instrumentos de trabalho e sementes e na abertura de novos pontos de água.
Depois de acudir as vítimas da seca no Cunene, a AJAPRZ direccionou a ajuda para as populações das localidades da Taca, Tchipio, Wyeombue e Chiange Velho, no município dos Gambos, onde a situação da seca é mais crítica na província da Huíla. Na terça-feira, aquela associação entregou 40 toneladas de bens alimentares e outros artigos diversos, incluindo fuba de milho, arroz, açúcar, massa alimentar, óleo vegetal, conservas de peixe, cadeiras de rodas, canadianas, peças de pano e alguidares.
O assistente logístico da AJAPRZ, Daniel Pio, disse que a organização vai continuar atenta aos problemas que a população enfrenta, procurando auxiliar os esforços do Governo na busca de soluções para os mesmos.
Garantiu que mais apoios vão chagar à Huíla, uma vez que o município dos Gambos não é a única parcela da província afectada pela seca. “Vamos mobilizar meios e levá-los a outras localidades”, afirmou.

Transumância antecipada

Os criadores tradicionais de gado no município dos Gambos estão a antecipar a transumância para localidades onde existe pasto e água, de modos a salvar as manadas das consequências da estiagem que assola a região.
O administrador municipal dos Gambos, Elias Souva, que adiantou o facto, esclareceu que, para facilitar o processo de transumância, foram definidas rotas para evitar conflitos, com destaque para a Tunda dos Gambos, que dista 70 quilómetros da sede municipal.
Nesta perspectiva, o responsável referiu que estão a acolher também criadores tradicionais do município de Virei, província do Namibe. O administrador municipal dos Gambos disse que, neste momento, já instalaram 37 currais na comuna da Taca. Neste momento, está a decorrer uma campanha de vacinação do gado bovino contra a peripneumonia contagiosa, carbúnculo hemático, sintomático e dermatite nodular. O administrador municipal dos Dembos anunciou que as autoridades prevêem imunizar mais de um milhão de cabeças durante a campanha.
Elias Souva sublinhou que, quando se fala de recursos pecuários na Huíla, tem de se referir o município dos Gambos, que possui um dos maiores efectivos ganadeiros, estimado em mais de 1,2 milhões de cabeças.
O responsável salientou que a criação de circuitos de comercialização do gado, carne e leite seria uma das saídas para resolver o problema da fome. Defendeu que os proprietários de gado devem recorrer à venda para resolver alguns problemas e que as ajudas que surgem das autoridades devem ser direccionadas para os cidadãos que não têm posses.

Vários apoios desde Outubro

As vítimas da estiagem no município dos Gambos começaram a receber apoios alimentares das autoridades governamentais desde Outubro de 2012. A directora provincial da Assistência e Reinserção Social na Huíla (MINARS), Catarina Manuel, disse que, antes do apoio da AJAPRZ, a população já tinha recebido mais de 32 toneladas de bens alimentares diversos enviados pelo Governo central.
A responsável explicou que as 40 toneladas recebidas da associação juvenil vão abranger 4.658 pessoas, num total de 932 famílias, para o período de um mês, realçando que a prioridade recai para as localidades mais críticas. A directora disse que Gambos é o município da Huíla em que a seca afectou as populações na totalidade. Para reverter a situação, esta região necessita de 118 toneladas de produtos alimentares, para atender 11.519 pessoas, num período de sete meses.
Além dos Gambos, a seca afectou, com menos gravidade, os municípios do Lubango, Quilengues, Cacula, Chibia, Humpata, Quipungo, Matala, Chicomba, Jamba e Chipindo, segundo Catarina Manuel. No total, a directora do MINARS adiantou que a seca afectou 835.519 pessoas, para cujo socorro são necessárias 107.947 toneladas de bens alimentares para um período de oito meses.

Tempo

Multimédia