Províncias

Governo garante alojamento

Arão Martins | Lubango

Médicos estagiários que prestam serviços desde Agosto último, a título experimental, nos principais hospitais da Huíla, manifestaram interesse em continuar a trabalhar depois da formação. De um grupo de 30, 25 ficam na região.

Sector da Saúde é cada vez mais reforçado
Fotografia: Mavitidi Mulaza |

Num encontro com o governador da Huíla, João Marcelino Tyipinge, o porta-voz do grupo de 30 médicos estagiários, do Instituto Superior Piaget, Paulo Luvangamo, manifestou a intenção de no fim do estágio, os profissionais da saúde continuarem nas unidades de saúde provinciais. 
 Paulo Luvangamo disse que as condições de trabalho, alojamento e a construção de mais hospitais motiva os profissionais a darem o seu contributo em zonas onde não existem médicos. Neste momento, os médicos estagiários prestam serviço no Hospital Central do Lubango, Maternidade Camarada Irene e na Pediatria Pioneiro Zeca. Também intervêm nos centros médicos de Quilengues, Caconda, Caluquembe, Humpata, Matala e Cacula.
Existem outros profissionais formados no Instituto Superior Piaget a estagiar em Luanda e em Portugal que também já manifestarem interesse em trabalhar na província da Huíla. Os médicos agradeceram o apoio prestado pelo governo provincial da Huíla, através da Direcção da Saúde.
 O director provincial da Huíla da Saúde, Altino Matias, manifestou satisfação com o trabalho desenvolvido pelos médicos estagiários em diversas unidades hospitalares da província porque permitiu prestar uma assistência humanizada a mais gente.
 O Governo Provincial está apostado em trabalhar com jovens médicos porque houve um aumento considerável na rede sanitária da província. Altino Matias informou que em 2015, a Faculdade de Medicina da Universidade Mandume ya Ndemufayo, lança no mercado os primeiros 49 médicos, o que vai contribuir para o preenchimento das faltas que ainda se registam nos municípios.
 O governador João Marcelino Tyipinge disse que foram construídos e equipados novos hospitais nos municípios e assegurou que o governo vai continuar a trabalhar para melhorar a rede sanitária e também criar condições para alojar os médicos interessados em trabalhar na província.
 “Temos estado a registar uma exigência grande na prestação de serviços essenciais à população ”, disse o governador.

Tempo

Multimédia