Províncias

Habitações para a juventude foram entregues no Lubango

Estanislau Costa | Lubango

Albertina Galangunga, 24 anos, trabalhadora do Centro de Documentação e Informação do Governo da Huíla, é uma jovem feliz, porque neste mês consagrado à mulher foi contemplada com uma casa, construída no quadro do Projecto Angola Jovem.

O projecto de construção de casas para a juventude prossegue em Abril
Fotografia: Estanislau Costa

Albertina Galangunga, 24 anos, trabalhadora do Centro de Documentação e Informação do Governo da Huíla, é uma jovem feliz, porque neste mês consagrado à mulher foi contemplada com uma casa, construída no quadro do Projecto Angola Jovem.
“Não vejo a hora de mudar para a minha própria casa, situada no bairro da Chavola, arredores da cidade do Lubango. Já tenho pequenas coisas para apetrechá-la e tornar a casa bonita e acolhedora para mim, família e amigos”, disse a jovem, satisfeita.
A jovem Albertina, que foi uma das centenas de candidatos ao concurso das 92 casas construídas pelo Ministério da Juventude e Desportos, na sequência da execução do Projecto Angola Jovem, está de acordo com as modalidades de pagamento da casa.
“A primeira tranche do reembolso que vamos fazer ao banco financiador do projecto é o equivalente em kwanzas a quatro mil dólares. A partir daí, o resto é descontado do salário mensal, durante 15 a 20 anos, conforme a opção de cada beneficiário”, explicou.
Sublinhou que esta modalidade desafoga os beneficiários das 92 casas, que estão prontos a habitar no novo bairro. “Tenho o meu noivo, trabalhamos, e não há como falhar os compromissos com o banco. Vamos pagar, talvez antes do tempo previsto”.
O jovem Jaime Lombe considera que o processo de entrega das casas vem em boa altura, porque vai materializar o seu projecto de casar, ter filhos e constituir uma família.
“Venho adiando o casamento porque vivo num quarto pequeno e ainda por cima num bairro sem condições de saneamento básico, segurança e até de difícil acesso”, disse.
Jaime Lombe frequenta o quinto ano do curso de Filosofia, no Instituto Superior de Ciências da Educação do Lubango. Tem um emprego com salário razoável e suficiente para honrar os compromissos do reembolso, constituir família e criar os filhos.
A distribuição das casas T2 e T3, construídas o ano passado, abrangeu 35 jovens, que reuniram os requisitos exigidos, entre eles ser casado, viver maritalmente, ter um emprego e condições de honrar os compromissos com o banco.
Os beneficiários e os que não foram apurados regozijaram-se com o Ministério da Juventude e Desportos, governo da província da Huíla e outros parceiros, por tornaram o projecto realidade e contemplar jovens com o sonho de ter casa própria.
Os jovens que não foram contemplados com casas pretendem que a direcção da Juventude e Desportos, governo e parceiros continuem o processo, de forma a abranger o maior número de candidatos interessados em constituir família, criar riqueza e desenvolver a província.
O director interino da Juventude e Desportos na Huíla, André de Jesus, garantiu que o processo de construção de casas vai continuar com mais 100 moradias, cujas obras começam no mês de Abril do corrente ano.

Tempo

Multimédia