Províncias

Hidroeléctrica concluída em Dezembro

Domingos Mucuta| Chibia

As obras de instalação da mini hídrica na barragem das Gangelas, Chibia, na Huíla, com capacidade para gerar 1,5 megawatts de energia, ficam concluídas no próximo mês, anunciou em Capunda Cavilongo, a administradora municipal.

As obras da instalação da mini hídrica na barragem das Gangelas que começaram em Agosto continuam a decorrer em ritmo satisfatório
Fotografia: Domingos Mucuta | Lubango

Otília Noloti explicou que as obras de instalação da mini hídrica, iniciadas em Agosto, decorrem a bom ritmo e os trabalhos estão a ser executados por técnicos israelitas, num investimento público que envolve os ministérios da A­gricultura, Pescas, Ambiente e Energia e Águas.
A administradora afirmou que a mini hídrica na barragem das Gangelas é um dos grandes desafios da administração, para garantir o abastecimento de água ao perímetro irrigado e a distribuição de energia eléctrica à população do município.
Otilia Noloti frisou que os trabalhos nas redes de energia eléctrica e de água, a partir da albufeira da barragem, vão diminuir os custos de produção agrícola no perímetro irrigado das Gangelas, que tem 1.520 hectares de extensão.
“A dinâmica dos trabalhos da empreiteira leva a crer que, até final deste ano, o município vai usufruir dos benefícios do investimento”, afirmou a administradora Otilia Noloti. Informou que o processo de distribuição de lotes continua, para permitir que os cidadãos e empresas com capacidade possam explorar o perímetro e produzir alimentos para o combate à fome e à pobreza.
A administradora lembrou que o governo identificou um projecto de inserção de 30 jovens empreendedores na produção agrícola, com a atribuição de terrenos, habitações devidamente equipadas e subsídios para os técnicos.
Os jovens empreendedores têm também apoio em meios agrícolas, como tractores, charruas, gados de tracção, enxadas, sementes e fertilizantes. A administradora considerou de satisfatório os resultados da produção agrícola no perímetro irrigados das Gangelas, depois do investimento do Executivopara a revitalização do canal. Otília Noloti disse que o empenho dos pequenos e grandes agricultores, que exploram o perímetro irrigado, está a surtir os efeitos desejados, quer em termos de produção, quer em diversificação de produtores agrícolas.
“O programa de revitalização do canal e do perímetro irrigado das Gangelas está em curso, com uma produção visível, apesar das dificuldades relacionadas com o bombeamento de água para a irrigação”, disse a administradora municipal.
 A Sociedade de Desenvolvimento dos Perímetros Irrigados apontava para uma colheita de 850 toneladas de produtos na campanha agrícola no perímetro irrigado das Gangelas, com destaque para a batata rena, milho, feijão e hortaliças, segundo a administradora.
A barragem das Gangelas, construída em 1962, está situada na bacia hídrica do rio Tchimpunhime e o perímetro irrigado pode, em condições favoráveis, produzir 48 mil toneladas de culturas, acrescentou Otília Noloti.

Tempo

Multimédia