Províncias

Hospitais e centros médicos com testes para detectar Sida

João Katombela | Lubango

Todos os hospitais e centros de saúde do Lubango vão dispor de serviços de testagem voluntária de Sida, anunciou o supervisor municipal do programa de controlo da doença.

Os centros estão munidos de material e pessoal especializado com vista a garantir as condições indispensáveis aos interessados
Fotografia: Jornal de Angola|

Todos os hospitais e centros de saúde do Lubango vão dispor de serviços de testagem voluntária de Sida, anunciou o supervisor municipal do programa de controlo da doença.
Joaquim Manuel Kambanda salientou que o objectivo das autoridades é dar resposta às necessidades das populações, na testagem voluntária da Sida.
Em breve, vão ser abertos serviços de testagem voluntária nos postos de saúde da Caluva, Lalula, Figueira, Poiares Munhino, Casa Mãe e Tchavolo.
O supervisor municipal do Lubango disse que a iniciativa visa igualmente estabelecer um controlo do índice de prevalência da doença. Joaquim Manuel Kambanda informou, também que para o funcionamento dos centros o sector conta com 57 técnicos formados em testagem e prevenção da transmissão vertical.Os centros estão munidos de material e pessoal especializado, com vista a garantir as condições indispensáveis para os interessados que acorrerem às unidades, que também servem de centros de aconselhamento.
Com vista a alargar os serviços, Joaquim Manuel Kambanda disse que, este ano, são formados técnicos e enfermeiros de todos os centros e postos de saúde em matéria de testagem e prevenção da transmissão vertical da doença em mulheres grávidas.
Referiu ainda que são qualificados os técnicos em assuntos relacionados com a prescrição de medicamentos de acordo com as necessidades de cada paciente  infectado na unidade sanitária. O número de pessoas testadas no município do Lubango ronda os sete por cento da população. As autoridades querem alargar este número para terem o controlo exacto da doença. O supervisor defende que é obrigatório o teste da Sida em mulheres grávidas, uma vez que há maior probabilidade dos recém-nascidos de mães grávidas e infectadas pelo vírus serem seropositivos.
Joaquim Manuel Kambanda defende que é necessário um diploma legal, no qual conste a obrigatoriedade da testagem voluntária de Sida nas mulheres grávidas.
 Durante o ano passado, disse que 21.156 mulheres foram aconselhadas, durante as consultas pré-natal na cidade do Lubango. Apenas 57 fizeram o teste.
O supervisor municipal lamentou ainda o facto de muitos homens continuarem a não fazer a testagem voluntária. Dos 20 testes registados por dia, apenas dois são do sexo masculino.

Tempo

Multimédia