Províncias

Huíla: Hospital ampliado no quadro do PIIM reaberto ao público

Arão Martins | Humpata

A população do município da Humpata, a 22 quilómetros da cidade do Lubango, capital da província da Huíla, passa a beneficiar de melhores serviços médicos e medicamentosos, com a reabertura, ontem, do hospital municipal, que foi ampliado e apetrechado no quadro do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

População do município da Humpata conta agora com mais e melhores serviços de saúde
Fotografia: Arão Martins | Edições Novembro

O plano de construção e ampliação do hospital municipal da Humpata, reaberto pelo ministro de Estado da Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, permitiu aumentar a capacidade de internamento de 34 para 120 camas.

As obras, executadas em três meses, custaram 72 milhões de kwanzas.

Também foram instalados novos equipamentos para o bloco operatório, raio X, hemoterapia, entre outros, o que proporciona uma assistência mais personalizada, segundo o director-geral da instituição, José de Almeida.

O novo hospital tem um banco de urgência, área de neonatologia, hemoterapia, bloco operatório, área de cirurgia, reanimação, arrecadação, central de esterilização, sala de pré e pós-parto, instrumentação, salas de internamento para homens e mulheres.

Além dos serviços gerais, a unidade dispõe de uma pediatria e maternidade, além da casa mortuária. A obra foi executada pela empresa nacional Tuamutunga Lda.

A administradora da Humpata, Rita Miranda Soma, explicou que as obras do hospital iniciaram com fundos do Programa de Investimentos Públicos (PIP). Por falta de recursos financeiros, os trabalhos ficaram paralisados durante sete anos. Ao transferir a acção ao Programa Integrado de Intervenção nos Municípios, salientou, foi possível concluir os trabalhos em apenas três meses.

Segundo a administradora, a obra tinha uma cobertura inferior a 40 por cento. Ao ser transferida para o PIIM, esclareceu, houve a necessidade de se fazer um trabalho de profundidade.

Esclareceu que o projecto foi uma ampliação de centro de saúde para um hospital municipal, tendo sido reabilitada a parte exterior.

“Hoje, graças ao PIIM, temos esta honra de abrir o hospital, que vai permitir prestar uma assistência médica e medicamentosa aceitável e melhorar a qualidade de vida da população, não só da Humpata, como de outras localidades, como o Lubango”, reconheceu.

Afirmou que a Humpata tem comunas com centros de referência. E com o hospital municipal, vai evitar a transferências e doentes graves para o município da Humpata.A satisfação aumenta porque o hospital tem novas valências.

Soba grande

O soba grande da Humpata, Alberto Tchoko Mayovo, enalteceu os ganhos com o PIIM. “A inauguração do hospital da Humpata é de louvar, porque tínhamos muita preocupação com os doentes”, disse.

Afirmou que o hospital era pequeno e já não respondia à demanda. Muitas vezes, o doente chegava e era evacuado para o Lubango.

Tempo

Multimédia