Províncias

Huíla conta com novos professores

Domingos Mucuta e André Amaro| Lubango

O sector da educação da província da Huíla aceitou 532 candidaturas para o preenchimento de vagas de professores para o interior dos municípios.

Crianças do interior da província têm melhores condições para aprenderem a ler e a escrever sem percorrer longas distâncias
Fotografia: Dombele Bernardo

O sector da educação da província da Huíla aceitou 532 candidaturas para o preenchimento de vagas de professores para o interior dos municípios.
Os apurados são candidatos com e sem agregação pedagógica, formados no Instituto Superior de Ciência de Educação, Magistérios Primários, Escolas de Formação de Professores e noutras intuições com equivalência.
Os candidatos, apurados pela comissão de júri constituída por despacho do governador da província, vão preencher as vagas disponíveis para professores do ensino primário na categoria de diplomados do 6º escalão.
A vice-ministra da Educação, presente no Lubango, num acto público, onde estavam as partes envolvidas no dossier, afirmou que os admitidos vão ser colocados no interior da província, onde o sector tem ainda falta de quadros para dinamizar o processo de ensino e aprendizagem nas aldeias, comunas e nos municípios.
Paula Inês frisou que a assinatura destes títulos de provimento e despacho de normação provisória é uma oportunidade de admissão de novos professores.
A Huíla tem mais de mil vagas para o ensino secundário, disse, revelando que não houve grandes constrangimentos relativamente à admissão de novos quadros para o ensino primário.
O maior problema, declarou, está na admissão de docentes para o secundário, já que não há candidatos. Paula Inês lamentou a falta de candidatos para o preenchimento das vagas disponíveis, quando a Huíla, além de professores no Instituto Superior de Ciência de Educação (ISCED), forma quadros provenientes das Faculdades de Economia e do Direito.
 A Huíla foi contemplada com 1.814 vagas, por despacho conjunto dos Ministérios da Administração do Território, da Administração Pública, Emprego e Segurança Social e das Finanças.
Por outro lado, 3.200 postes de iluminação pública estão a ser instalados na cidade do Lubango e nos bairros periféricos, devendo o processo estar concluído em dois meses, disse, ontem, ao Jornal de Angola, o director provincial de Energia e Águas.
 
Candeeiros públicos na cidade e periferia

Abel da Costa afirmou que o projecto, avaliado em sete milhões de dólares, financiado pelo governo provincial, está pronto em 30 por cento, o que permite que vastas áreas estejam já iluminadas. A montagem, feita, em duas fases, no âmbito de um projecto da direcção de Energia e Águas da Huíla, é feita em duas fases e contempla o complexo turístico da Nossa Senhora do Monte, largo da escola 27, bairro da Laje, cine Arco-íris e hospital central do Lubango. Na estrada que liga a cidade ao aeroporto internacional da Mukanka, com uma extensão de sete quilómetros, está concluída a instalação do sistema.
O bairro do Tchioco, onde algumas casas contam agora com novas ligações, com montagem de Postos de Transformação Eléctrica (PTE), está a ser electrificado.

Tempo

Multimédia