Províncias

Huíla tem calcário para a agricultura

André Amaro| Lubango

Uma unidade fabril para a produção de calcário dolomítico, destinado à correcção de solos na actividade agrícola, entrou em funcionamento na província da Huíla.

O empresário João Teixeira
Fotografia: André Amaro

Uma unidade fabril para a produção de calcário dolomítico, destinado à correcção de solos na actividade agrícola, entrou em funcionamento na província da Huíla.
Orçada em dois milhões e 500 mil dólares, a fábrica, situada na comuna do Tchivinguiro, município da Humpata, tem a capacidade de produzir, diariamente, dez toneladas do produto e pertence ao grupo empresarial Calcário da Huíla.
Além da produção do calcário dolomítico para a correcção de solos, a unidade está a produzir cal hidráulica para a construção civil, cal virgem para várias utilidades e carbonato de cálcio destinado ao fabrico de tintas.
O director da empresa Calcários da Huíla, João Teixeira, disse, ontem, ao Jornal de Angola, que o projecto começou a ser executado em 2008, com a realização de trabalhos de limpeza do local, identificação e testagem das rochas, aquisição e montagem dos equipamentos. Informou que estão a aguardar, para o mês de Setembro, a chegada de mais equipamentos que vão permitir aumentar a produção de 10 para 100 toneladas de calcário diariamente.
De acordo com João Teixeira, o calcário dolomítica é muito procurado no mercado nacional, uma vez que os produtores estão a tomar conhecimento que os solos devem ser renovados constantemente para garantir a produção. Explicou que foram solicitados pelos agricultores e governos das províncias de Luanda, Kwanza-Sul, Benguela, México, Lunda-Norte e Lunda-Sul, no sentido de passarem a fornecer o produto.
Referiu que a construção da fábrica foi motivada pela dificuldade que os agricultores enfrentavam na aquisição do calcário para a correcção de solos e consequentemente melhoria da produção agrícola.
A criação desta unidade fabril permitiu a criação de 60 novos postos de trabalho, ocupados maioritariamente por moradores da comuna de Tchivinguiro.

Tempo

Multimédia