Províncias

Huíla vai reforçar o sector da Saúde

Arão Martins | Lubango

Um total de 208 novos técnicos de saúde vai ser admitido, nos próximos dias, na província da Huíla, por intermédio de um concurso público, a ser promovido pelo Ministério da Saúde, para o preenchimento de vagas, anunciou o director provincial do sector.

Das vagas disponíveis para os médicos a prioridade recai para aqueles que trabalham nos municípios em sistema de quadros eventuais
Fotografia: Arimateia Baptista

Altino Matias disse ao Jornal de Angola, no final de uma visita que o governador provincial da Huíla efectuou às obras de construção da nova rede sanitária em curso na centralidade da Eywa, que vão ser admitidos 40 médicos, sendo 20 internos gerais e igual número de internos complementares, além de um número considerável de assistentes de saúde e enfermeiros licenciados.
Devido ao facto de o número de profissionais de saúde ser ainda exíguo, o responsável disse que estão habilitados a participar do concurso médicos que concluíram a formação em várias especialidades e que, desde 2013, trabalham em regime de técnicos eventuais nos municípios da província.
A província da Huíla dispõe de um hospital geral, quatro provinciais, igual número de municipais; 19 centros de saúde de referência, quatro materno-infantis, 39 de saúde e 195 postos médicos.
A par destas unidades públicas, prestam ainda serviços outras unidades sanitárias privadas, que perfazem um total de sete clínicas, 45 centros médicos, 61 postos de enfermagem, três gabinetes de oftalmologia, um centro de fisioterapia e cinco gabinetes de estomatologia. Constam ainda da rede sanitária privada cinco centros médicos naturalísticos, igual número de consultórios médicos, dois consultórios médicos naturalísticos e uma escola de saúde.
O director provincial da Saúde, Altino Matias, espera por um processo transparente e que a distribuição dos quadros seleccionados seja feita de forma equilibrada. “Há dias, reunimos com os directores municipais e administradores de unidades hospitalares públicas, de modo a determinar, mediante orientações precisas, a distribuição de forma justa dos técnicos por municípios”. Altino Matias informou que os municípios a serem contemplados com mais técnicos de Saúde são os de Caconda, Caluquembe, Cacula, Chicomba, Chipindo, Chibia, Gambos, Cuvango, Matala, Quilengues, Quipungo e Cacula. Sublinhou que Lubango, Caconda e Humpata também beneficiam, mas em número bastante reduzido. 
 “Vamos ter vagas para os municípios que apresentam mais problemas, como Cacula, Cuvango, Jamba, Chipindo, Caconda, Caluquembe. Outros, sobretudo os que estão situados mais próximos da cidade do Lubango, vão receber técnicos em função das quotas pré-estabelecidas”, disse Altino Matias.
Tendo em conta a densidade populacional da província e a sua especificidade, o director da Saúde considerou insuficiente o número de quadros a serem enquadrados, atendendo as necessidades. Por exemplo, apontou o caso do Hospital Central do Lubango que trabalha com muitos técnicos eventuais.
O director provincial da Huíla da Saúde disse que das vagas disponíveis para os médicos, a prioridade recai para aqueles que, no final de 2013, se deslocaram à província e aceitaram trabalhar nos municípios, mesmo em sistema de quadros eventuais.

Tempo

Multimédia