Províncias

Humanização da saúde no centro dos debates

André Amaro | Lubango

A humanização dos serviços de saúde nas unidades hospitalares da Huíla constitui o principal tema das III Jornadas Científicas do Hospital Central do Lubango Doutor António Agostinho Neto, que hoje começam.

As jornadas, que decorrem sob o lema “Investiguemos com Vista à Melhoria das Boas Práticas, para a Excelência no Atendimento Humanizado dos Utentes”, reúnem médicos, estudantes, professores e especialistas em medicina.
Durante dois dias, os participantes abordam temas como a situação actual do diagnóstico da malária, importância da fisioterapia em neonatologia nas maternidades, complicação pós-traumatismo e doente politraumatizado queimado.
O tratamento dentário em grávidas, má formação ano-rectal, insuficiência cardíaca descompensada, comunicação terapeuta e relações interpessoais também constam dos temas agendados.
O director pedagógico do Hospital Central do Lubango disse ao Jornal de Angola que, com a realização destas jornadas, se esperam mudanças significantes no atendimento humanizado dos pacientes.
Paulo Emanuel esclareceu que estas jornadas são realizadas no âmbito das comemorações do aniversário do Hospital Central do Lubango, que tem em vista a melhoria da qualidade dos serviços prestados.
“Neste âmbito, já realizámos cursos pré-jornadas, que visaram aumentar os conhecimentos dos enfermeiros, técnicos e outros funcionários do hospital, no sentido de tornarem os serviços de saúde mais humanizados”, sublinhou.

Modernização


O Hospital Central do Lubango Doutor António Agostinho Neto está a beneficiar de um programa de modernização de equipamentos e superação dos quadros, com vista a melhorar a qualidade dos serviços prestados.
Os cuidados intensivos, laboratório de análises clínicas e bloco operatório são algumas das áreas que estão em obras de reabilitação e apetrechamento. A montagem do centro de hemodiálise está na fase de conclusão.
O director administrativo, Martinho Angelino, esclareceu que estão a ser montados, na sala de cuidados intensivos, seis monitores modernos, para a reanimação dos pacientes que se encontrem em estado crítico, que vão ser manuseados por técnicos nacionais que estão a receber de formação intensiva.
O laboratório de análises clínicas, referiu, está restaurado e equipado com nova tecnologia de ponta, que permite a realização de testes em microbiologia, que antes não eram possíveis.

Tempo

Multimédia