Províncias

Indicadores de saúde melhoram na região

Arão Martins | Quipungo

Os indicadores de atendimento, assistência médica e medicamentosa aos habitantes do município de Quipungo, na província da Huíla, vão registar melhorias consideráveis, quando terminarem, nos próximos tempos, as obras de reabilitação e ampliação do Hospital Municipal de Quipungo.

Parte frontal do Hospital Municipal de Quipungo que está a ser reabilitado e ampliado
Fotografia: Arão Martins | Edições Novembro | Quipungo

Com capacidade para trinta e cinco camas, o Hospital Municipal de Quipungo pode atender, em média, 150 pacientes por dia.
O administrador do Hospital de Quipungo, Nascimento Tyamba, disse que a unidade sanitária conta com um médico, um enfermeiro licenciado, quatro técnicos de enfermagem, dois enfermeiros especialistas, cinco auxiliares de enfermagem, uma farmacêutica, dois técnicos de análises clínicas e 35 funcionários de apoio hospitalar e administrativos, totalizando 35, contra os 385, de acordo com o quadro orgânico, para um universo populacional estimado em 158.918 habitantes.
Segundo o administrador, a municipalização dos serviços de saúde trouxe grandes melhorias na gestão sanitária hospitalar, não obstante alguns constrangimentos que se verificam devido à situação financeira que o país está a atravessar.
Para Nascimento Tyamba, os indicadores de saúde pública registam melhorias consideráveis, no que concerne à vacinação de rotina em posto fixo, equipas avançadas, seguimento à mulher grávida, entre outros serviços.
Quanto aos medicamentos, o responsável adiantou que o Hospital Municipal de Quipungo tem condições para atender as situações de urgência e não só, mesmo com os constrangimentos referidos. Afirmou que a não conclusão da obra de reabilitação e ampliação do hospital constitui uma outra dificuldade, que, de certo modo, impossibilita a instalação de outros serviços.
O administrador do hospital manifestou, em nome da Administração Municipal de Quipungo, da Repartição Municipal da Saúde e da população em geral do município, os agradecimentos aos feitos que têm vindo a ser alcançados em prol do melhoramento das condições de vida das populações, “pelo que encorajamos o Governo a prosseguir com o mesmo espírito, fazendo cada vez mais e melhor”.
 O governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, visitou o hospital, que tem em funcionamento as áreas de internamento, nutrição, enfermaria para homens e mulheres, enfermaria para pediatria e para mulheres. 
A farmácia, sala de tratamento, secção de análises clínicas de baciloscopia, curativos e injecção, Programa Alargado de Vacinação (PAV), consultório médico, sala de partos e pós-partos, entre outros, estão também em funcionamento no Hospital Municipal de Quipungo, apesar das obras. O governador da Huíla disse que o programa de governação do MPLA, que está a ser amplamente divulgado, prevê, para o período 2017-2022, prevenir e controlar doenças que, pela abordagem de determinantes da saúde, são preveníveis.
A criação de um fundo de urgência de saúde pública, prestação de cuidados de saúde primários e assistência hospitalar, incluindo o melhoramento da organização, gestão e o funcionamento das unidades de saúde, tendo em conta o quadro epidemiológico do país, são outras acções que vão merecer atenção especial das autoridades.
João Marcelino Tyipinge disse que a construção de escolas e a admissão de médicos para reforçar as unidades sanitárias são outras acções a serem desenvolvidas pelo Governo, para continuar a melhorar os indicadores de assistência médica e medicamentosa à população.

Tempo

Multimédia