Províncias

Instituto de Desminagem limpa reservas fundiárias

André Amaro| Lubango

Uma extensão de dez mil metros quadrados nos municípios situados a norte e leste da província da Huíla está limpa de minas, fruto do trabalha levado a cabo pelo Instituto de Desminagem de Angola no ano passado, segundo informou quinta-feira a directora provincial do Instituto de Desminagem da Huíla, Dulce Tito.

Uma extensão de dez mil metros quadrados nos municípios situados a norte e leste da província da Huíla está limpa de minas, fruto do trabalha levado a cabo pelo Instituto de Desminagem de Angola no ano passado, segundo informou quinta-feira a directora provincial do Instituto de Desminagem da Huíla, Dulce Tito.
Referiu que nessas áreas, localizadas nos municípios do Chipindo, Cuvango, Jamba, Caconda, Caluquembe e Chicomba, foram removidos mais de mil engenhos explosivos de pequeno, médio e grande calibre.
Dulce Tito esclareceu que a extensão limpa está a ser aproveitada pela empresa Angola Telecom para a instalação da fibra óptica.
Ela fazia o balanço das actividades desenvolvidas no ano passado, tendo informado que foram retirados das respectivas áreas 700 engenhos explosivos, 333 minas anti-tanque e anti-pessoal.
Informou que a instituição desminou 600 mil metros quadrados do aeródromo do município de Caconda, onde foram retiradas 200 minas anti-pessoal, dez minas anti- tanque e 678 engenhos explosivos.
Sublinhou que, para o êxito do trabalho, o instituto contou com a parceria das Forças Armadas Angolanas, Ong nacionais e internacionais, administrações municipais, comunais e autoridades tradicionais.
 
Reservas fundiárias
 
Explicou que a desminagem das reservas fundiárias do Estado, para permitir a implementação do programa de construção de um milhão de casas em todo país, constitui a prioridade para o Instituto Nacional de Desminagem na Huíla neste ano.
A directora Dulce Tito disse que alguns administradores municipais estão com dificuldades de realizarem os loteamentos e urbanizações devido à existência de minas.
Precisou que a situação é mais preocupante nos municípios à leste da província, por isso, numa primeira fase, vão ser concentrados pessoal e meios nas áreas.
Para além da desminagem das reservas fundiárias, a actividade de desminagem abrange algumas lavras da população, no sentido de incentivar a produção agro-pecuária naquelas localidades, no âmbito do programa do Governo angolano de combate à fome.
Os camponeses das áreas desminadas aplaudem as acções do Governo e pedem meios para o escoamentos dos produtos.

Tempo

Multimédia