Províncias

Inventores apresentam alternativas modernas

Domingos Mucuta | Lubango

Propostas de soluções modernas para o desenvolvimento dos sectores da saúde, agricultura, tecnologia e engenharia marcaram a 5ª Edição da Feira do Inventor/ Criador realizada na cidade do Lubango, na província da Huíla.

Jovens mostraram soluções para o desenvolvimento de vários sectores no país
Fotografia: Domingos Mucuta| Lubango| Edições Novembro

As propostas foram apresentadas ao público pelos estudantes do ensino médio e superior de instituições públicas e privadas, empenhados em conceber e apresentar projectos científicos viáveis para o desenvolvimento regional e nacional.
A 5ª edição da feira do inventor na Huíla congregou mais de 30 expositores, apostados em projectos de investigação académica e científica, para transformar a realidade e impulsionar o bem-estar social.
A feira visou promover a integração entre o parque industrial e os mentores de projectos, divulgar e incentivar o potencial criativo da região, proporcionar oportunidades e criar condições de demonstração das potencialidades técnicas, científicas e culturais dos participantes.
Durante a exposição, os estudantes foram estimulados a conhecer a importância da propriedade intelectual, o processo de transferência de tecnologia aos sectores produtivos e os conceitos relativos ao desenvolvimento das actividades.
Os vencedores de cada categoria do evento, promovido pelo Gabinete Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, em parceria com a Universidade Mandume ya Ndemofayo, vão representar a província da Huíla na edição nacional, prevista para Setembro, em Luanda.
Muitos estudantes levaram à maior exposição académica e científica da província projectos nos domínios da engenharia de construção civil, segurança habitacional, energias renováveis, electricidade, tecnologia de produção agrícola, exploração mineira e outros, que mereceram admiração do público.
A vice-governadora da Huíla para o sector Político, Social e Económico, Maria João Chipalavela, sublinhou a importância do evento, como espaço para as actividades científicas necessárias para o desenvolvimento da indústria. Maria João Chipalavela lamentou a fraca afluência da classe empresarial no espaço que estimula e revela a criatividade e a inovação, que “bem aproveitadas e apoiadas podem se reflectir na industrialização”.

Tempo

Multimédia