Províncias

Jamba vai albergar curso de Geologia

DOMINGOS MUCUTA | Lubango

A Administração Municipal da Jamba e a Universidade Mandume ya Ndemofayo estão a estudar a possibilidade da abertura de um núcleo do Instituto Superior Politécnico da Huíla, para garantir a formação de quadros nas áreas de Geologia e Minas.

Está previsto para breve o início da actividade de exploração mineira que precisa de técnicos
Fotografia: DOMINGOS MUCUTA|Lubango

O administrador municipal da Jamba, Miguel Cassela, afirmou terça-feira que, neste momento, decorrem contactos com a direcção da reitoria da Universidade Mandume ya Ndemofayo para a abertura, na sede do município, do futuro núcleo universitário na circunscrição, que dista cerca de 300 quilómetros da cidade do Lubango.
O responsável salientou que a necessidade surge em função do início previsto, para breve, da actividade de exploração mineira, que vai requerer jovens competentes e técnicoprofissionais, no sentido de corresponder às exigências da produção de ferro e ouro.
Neste momento, os trabalhos de prospecção decorrem sem sobressaltos, disse o administrador municipal da Jamba.
O administrador acredita que a criação de salas anexas vai permitir que habitantes dos municípios da Jamba, Cuvango e Chipindo, sobretudo jovens com ensino médio concluído, frequentem o curso de Geologia e Minas, sem percorrer longas distâncias até ao Lubango. Miguel Cassela disse que as autoridades municipais têm a possibilidade de recrutar docentes com elevada experiência em mineração. “Vamos aproveitar este momento na prospecção, que pode assegurar o êxito do processo de ensino e aprendizagem”, disse.
O responsável garantiu que o município tem infra-estruturas para albergar as salas e terreno para a construção de um estabelecimento nos próximos tempos.
O manifesto das autoridades da Jamba em ter o curso superior de Geologia e Minas surge numa altura em que os municípios da Chibia, Matala, Caconda e Caluquembe, dispõem de núcleos do Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED), na Huíla. “Contrariamente aos esforços de outros municípios, nós queremos atrair para cá a formação nas áreas relacionadas com a actividade mineira, uma vez que é na Jamba onde temos os recursos minerais, como ouro e ferro”, disse o administrador.
Miguel Cassela disse que os munícipes aguardam com expectativa o anúncio dos resultados de prospecção de ferro (de Cassinga norte e sul) e ouro (Mupopo), cujas amostras foram enviadas para a África do Sul, com vista à avaliação dos trabalhos.

Tempo

Multimédia