Províncias

Jovens abordam técnicas de inovação

Estanislau Costa | Lubango

Mais de dois mil jovens presentes no II Acampamento Nacional da Sociedade Média da congregação religiosa IECA no Dique da Chibia, analisam, desde a semana passada, até hoje, em ciclos de estudo, as técnicas do uso das habilidades e de execução de projectos inovadores da juventude.

Campistas de várias províncias estiveram engajados em actividades socioculturais e religiosas
Fotografia: Estanislau Costa|Huíla

O secretário provincial da IECA na Huíla, reverendo José Lourenço, explicou ao Jornal de Angola que os campistas provenientes de todas as províncias do país, além das actividades socioculturais e religiosas, trocam experiências sobre valores morais e cívicos, sua prática, estudo bíblico e evangelização.
“Precisamos de nos acautelar das benesses trazidas pelo desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação, porque nalguns casos colocam em causa o que de melhor temos como os nossos valores, educação e todo um conjunto de regras favoráveis ao bem-estar das famílias”, disse.
O reverendo explicou que é por estar razão que o Dique da Chibia, onde as TIC e outros serviços de telecomunicações actuam muito pouco, foi o local escolhido para acolher o II Acampamento Nacional da Sociedade Média, de modo que a análise dos temas cristãos e sociais seja feita sem qualquer interferência.
A jovem Albertina Cangombe, da província do Bié, impressionada com a zona turística do Dique da Chibia, disse que o evento está a reavivar a mente dos cristãos pelo facto de os temas serem abordados sem preconceitos, com exemplos práticos que ajudam a esclarecer melhor os participantes. Para ela, a abordagem sobre o empreendedorismo, iniciativas e práticas para a diversificação da economia, cativou a atenção dos jovens, por dar boas luzes para a materialização de diversos projectos, aumentar a renda familiar e promover o auto-emprego.

Potencial dos jovens

O vice-governador provincial da Huíla para o Sector Económico, Sérgio da Cunha Velho, considerou os jovens uma fracção significativa, com potencial suficiente para contribuir com a sua força e  ideias, assim como para reforçar a justiça social. Acrescentou que só assim é que se pode pensar em prosperidade económica, para garantir que haja cada vez mais um convívio familiar fraterno.
“Vivemos um período de grande expectativa devido o actual contexto macroeconómico que cria vários constrangimentos às famílias. Deste modo, o Governo executa várias acções para minorar os efeitos nocivos desta situação e conceber estratégias para a médio prazo dar sustentabilidade à economia e melhorar a qualidade de vida dos angolanos”, afirmou.
Sérgio da Cunha Velho enfatizou que os jovens presentes no acampamento, além dos assuntos espirituais, devem também debater sobre a forma como cada um, no âmbito da sua actividade económica e social, pode contribuir para a melhoria da actual situação que o país atravessa.
O responsável apelou aos participantes para cumprirem com o dever patriótico e de cidadania, fazendo o registo eleitoral presencial e mobilizando as pessoas menos informadas sobre a importância do processo. “Todos os cidadãos maiores devem fazer a prova de vida presencial e actualizar a localização da sua residência para poder votar em 2017.”

Tempo

Multimédia