Províncias

Jovens aderem a novo modelo de casas no Lubango

Estanislau Costa | Lubango

A construção de casas de vários tipos e a preços acessíveis regista maior dinâmica na região sul, com a apresentação recente no Lubango da nova tecnologia favorável à utilização de metais diversos nas obras da empresa Wayanga e Design.

Mercado imobiliário da região sul de Angola conhece nova dinâmica com o emprego de novas tecnologias na construção civil
Fotografia: Estanislau Costa| Lubango

 O director geral da Wayanga e Design, Virgílio Kalulika, informou ao Jornal de Angola que a actual tecnologia adapta-se com facilidade  à construção de infra-estruturas públicas, com realce para escolas, unidades hospitalares e centros recreativos.
 As províncias do Huambo, Huíla, Namibe e Cunene começam a experimentar um modelo de construção civil capaz de tornar as o­bras mais rápidas, tendo em conta a aplicação de betão em perfis de metal galvanizado, disse.
Virgílio Kalulika aproveitou as actividades das Festas da Nossa Senhora do Monte para apresentar a nova técnica de construção de casas e outros empreendimentos, assim como as suas múltiplas vantagens e assegurou que para corresponder à procura, foi instalada nos arredores da cidade do Huambo uma produtora de estruturas metálicas.
 “O perfil das moradias de baixa, média e alta renda com estruturas arquitectónicas credíveis, é desenhado numa estrutura metálica para posteriormente serem montadas e revestidas com betão armado”, disse para descrever que a obra pode ser feita em menos de 30 dias.  Sobre as vantagens para a população, Virgílio Kalulika referiu que o preço da alvenaria durante a construção custa menos 30 por cento que a utilizada neste momento, a probabilidade de fissuras é muito pouca e as estruturas possuem um clima térmico. A garantia da casa é de 50 anos.  “As obras de uma casa unifamiliar no país estão cotadas em cerca de cinco milhões de kwanzas. Com a utilização da nova tecnologia de perfis metálicos com revestimento de betão, é possível poupar-se dois milhões de kwanzas”, afirmou.
 A Wayanga e Design vai proporcionar mais de 300 postos de trabalho, a maioria nas áreas de construção civil, num centro profissional a ser criado em breve, e criou infra-estruturas para corresponder à dinâmica do Executivo no seu programa de fomento habitacional.
 Mais de mil milhões de kwanzas foram empregues na aquisição e montagem do equipamento proveniente da Malásia, instalação das infra-estruturas e formação de ­jovens.
O Banco de Desenvolvimento Angola (BDA) financiou 80 por cento do projecto. O baixo custo e a rápida construção das moradias cativaram um número considerável de jovens das províncias da Huíla, Cunene, Namibe, Benguela e Huambo a apostar na moderna tecnologia. No Lubango, mais de 200 pessoas acederam ao programa.
O director Virgílio Kalulika reconheceu o interesse na Huíla e garantiu que foi programada a instalação de uma unidade móvel para dar resposta às solicitações dos jovens, a maioria já com parcelas de terras de 1.000 metros quadrados, destinadas à auto-construção dirigida.
 “A prioridade para as cidades do Lubango, Namibe, Ondjiva e Benguela é a construção de moradias de baixa renda, escolas, hospitais e indústrias”, garantiu.
 
Complexo habitacional

O novo complexo habitacional Palanca Yetu, desenvolvido pela imobiliária Uniprev, prevê a construção de um número considerável de casas de baixa e média renda, numa área com as principais infra-estruturas básicas já instaladas. O complexo localizado no município da Humpata, 16 quilómetros a sul da cidade do Lubango, conta com uma adesão aceitável.
O director adjunto da Uniprev, Edson Arsénio, disse que várias empresas públicas, privadas e jovens fazem parte do projecto, um dos mais inovadores da província da Huíla nos últimos tempos.

Tempo

Multimédia