Províncias

Jovens aprendem a gerir empresas

Arão Martins | Lubango

Os finalistas da acção formativa “Como iniciar a sua própria empresa” defenderam, no Lubango, a intervenção do Governo na expansão da rede bancária, para facilitar a concessão de créditos aos projectos mais viáveis.

Os jovens desempregados têm beneficiado também de formação em artes e ofícios no âmbito do programa de combate ao desemprego
Fotografia: Dombele Bernardo |

O curso, inserido no programa de preparação empresarial que está a ser desenvolvido pelo Executivo, foi ministrado pelo Instituto Nacional de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (INAPEM) e teve a duração de duas semanas, com a participação de 800 empreendedores, dos 14 municípios da Huíla.
Mercado, ponto comercial, processo produtivo operacional, despesas variáveis directas e indirectas, plano de negócios, etapas para o desenvolvimento do plano de negócios, empresa, empreendedorismo e o empresário são, entre outros, os assuntos abordados durante a acção formativa.
Manuel Halaiwa, em nome dos formandos, prometeu pôr em práticas os conhecimentos adquiridos, pois a formação intensiva muniu cada participante de ferramentas para iniciar o próprio negócio ou empresa de prestação de serviços.
O Governo, acrescentou, está preocupado com o incentivo à criatividade, inovação e ao empreendedorismo dos cidadãos, sobretudo da camada jovem, que constitui a força motriz de qualquer nação.
Salientou que a formação efectivou-se num momento especial, em que decorre no país o Censo Geral da População e Habitação, tarefa que vai determinar os grandes alicerces para o desenvolvimento nacional. O responsável local do INAPEM, Guilherme Bento, disse que foi dada mais uma oportunidade aos jovens empreendedores de poderem abrir os seus negócios.
O responsável aconselhou, ainda, os formandos a recorrerem às linhas de crédito, Balcão Único do Empreendedor (BUE) e Instituto de Fomento Empresarial, no sentido de recolherem informações que lhes permitam ter sucesso nas suas actividades empresariais.
"O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, na mensagem parlamentar de 2013/2014, criou uma comissão de trabalho entre o Ministério da Administração do Território e da Promoção da Mulher, para que todas as iniciativas rentáveis no campo também possam ser sustentadas", disse Manuel Halaiwa.
O INAPEM na Huíla, acrescentou, vai continuar a incentivar o espírito empreendedor, para a criação de rendimento familiar.
Manuel Halaiwa anunciou que, a nível da província da Huíla, foram licenciadas várias empresas e o processo vai continuar. De 2012 a 2017, acrescentou, uma empresa para ter bases tem de ter a sua situação legal, social e fiscal bem definida. As acções de formação vão continuar.
De acordo com o representante do Governo Provincial,  Adalberto Chiquete, a preparação empresarial faz parte do Plano Nacional de Desenvolvimento, que tem sido amplamente divulgado. Trata-se de uma estratégia orientadora destinada a ajudar o país a progredir. Parte deste processo, acrescentou, diz respeito à dinâmica da vida económica, que vai conduzir, como resultado final, à melhoria das condições socioeconómicas de toda a população.
Adalberto Chiquete reconheceu que a vida do empreendedor é cheia de desafios, por exigir a tomada de decisões muitas vezes difíceis, e na qual se correm riscos que devem ser calculados para permitir o amplo desenvolvimento da sua actividade.

Tempo

Multimédia