Províncias

Jovens empenhados em salvar vidas

André Amaro| Lubango

Jovens de diferentes formações políticas, denominações religiosas e associações juvenis do Lubango, Huíla, estão determinados a dar sangue regularmente, para minimizar a carência que as principais unidades de referência atravessam.

Responsável do centro de hemoterapia da Maternidade Camarada Irene Neto agradeceu o gesto uma vez que a doação vai contribuir para salvar a vida de muitas mulheres grávidas
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

Fruto deste empenho, o Hospital Pediátrico, a Maternidade Camarada Irene Neto e Hospital Central do Lubango estão a receber mensalmente, em média, a doação de sague de 40 jovens que pretendem, com este gesto, salvar mais vidas. Nos últimos dias, o hospital da maternidade Camarada Irene, na cidade do Lubango, recebeu a doação de sangue de um grupo de 30 jovens universitários, da JMPLA na capital da Huíla. O primeiro secretário do comité para o Ensino Superior daquela organização juvenil na Huíla, Luís Paulo Dala, garantiu que a doação de sangue às unidades hospitalares passa, agora, a ser de carácter permanente por parte dos militantes.
“Há dias, houve uma doação ao hospital pediátrico do Lubango e no domingo foi a vez da maternidade. No início de  Junho, vamos estar no hospital central, com o mesmo propósito”, sustentou. No quadro das acções da organização juvenil previstas para este ano, consta, segundo o responsável, a doação mensal de sangue a uma das unidades hospitalares da cidade do Lubango, à semelhança de outros jovens.
A responsável do centro de hemoterapia da Maternidade Camarada Irene Neto, Emília Talaça, agradeceu o gesto dos jovens universitários, uma vez que esta doação vai contribuir para salvar a vida de muitas mulheres grávidas e recém-nascidos.
Este ano, a maternidade já beneficiou de cinco campanhas de doação de sangue efectuadas por jovens de várias denominações religiosas, partidos políticos, associações juvenis filantrópicas e de pessoas volutarias. Com esta acção humanitária, os familiares dos pacientes com problemas de anemia grave devido à malária e outros que necessitam da transfusão de sangue, raramente recorrem a outros hospital à procura dele. As condições para conservação estão criadas.
 “A salvação de vidas humanas e o conhecimento do estado serológico são as principais vantagens que a doação de  sangue oferece aos indivíduos que regularmente efectuam este gesto solidário”, disse, sublinhando que os indivíduos, antes da doação, são submetidos a um conjunto de análises. Para doar sangue, o indivíduo deve ter mais de 18 anos, peso superior a 50 quilos e não consumir álcool.

Tempo

Multimédia