Províncias

Jovens recebem espaços para construção

Estanislau Costa | Lubango

Um número considerável de jovens filiados em diversas associações do Lubango está a ser contemplado com terrenos loteados na nova zona urbana da Figueira, localizada nos arredores da cidade, para o fomento da auto-construção dirigida.

Empreendedores ganham espaço suficiente para a materialização do sonho de casa própria e erguer estabelecimentos de prestação de serviços
Fotografia: Arão Martins

O topógrafo-chefe da administração municipal do Lubango, Ribeiro da Silva, que avançou ontem os dados ao Jornal de Angola, informou que foram distribuídos espaços de mil, 800 e 600 metros quadrados, favoráveis à implantação de qualquer projecto habitacional unifamiliar.
“Os jovens empreendedores ganharam espaços suficientes para a materialização do sonho da casa própria e criar ainda nos mesmos espaços condições para erguer pequenos estabelecimentos para prestação de diversos serviços, notadamente farmácia, cabeleireiro, entre outros.
Ribeiro da Silva explicou que o processo de urbanização e loteamento contempla a abertura de novas avenidas, ordenamento e classificação dos aglomerados suburbanos e urbanos, reserva de espaços verdes e locais para o repovoamento de árvores, redes eléctricas, água e saneamento básico.
Esclareceu que a administração municipal do Lubango continua a desenvolver acções favoráveis a melhoria da comodidade e conforto das famílias, principalmente as que vivem em zonas consideradas de risco, criando para o efeito espaços mais seguros. O topógrafo-chefe argumentou que a maioria dos populares concentrados nas zonas de risco do Lubango vive em casebres erguidos próximo aos riachos, na montanha da Chela, que circunda a cidade, áreas de drenagem das águas das chuvas e de esgotos, razão que motiva as autoridades a encontrar soluções imediatas. Ribeiro da Silva anunciou que a futura zona habitacional da Figueira possui mais de mil e 600 hectares, sendo que o processo de loteamento e urbanização já feito permitiu distribuir 799 parcelas de terras, na primeira fase, 2.330, na segunda, e na terceira 1.200 lotes.
“Este processo, conduzido pelo administrador municipal do Lubango, Francisco Barros, vai culminar com a valorização da zona envolvente do Estádio da Tundavala, Estação Ferroviária e aeroporto internacional da Mukanka”, disse Ribeiro da Silva.
Importa realçar que, com a implementação, há cinco anos, do programa de fomento habitacional e realojamento das famílias que residiam em zonas de risco, a cidade do Lubango começou a expandir-se para as zonas da Chavola, Mutundo, Eywa, Quilemba, onde está em curso a construção de 11 mil casas de vários tipos.

Tempo

Multimédia