Províncias

Kuawa tem nova escola primária

Domingos Mucuta| Lubango

Os filhos das famílias realojadas, em Março de 2010, na zona do Kuawa, no bairro Nambembi, vão, este ano, estudar numa escola primária construída de raiz, com condições apropriadas para o processo de ensino e aprendizagem.

O governador Isaac dos Anjos visitou as obras da nova escola e de outras infra-estruturas
Fotografia: Arimateia Baptista| Lubango

Os filhos das famílias realojadas, em Março de 2010, na zona do Kuawa, no bairro Nambembi, vão, este ano, estudar numa escola primária construída de raiz, com condições apropriadas para o processo de ensino e aprendizagem.
As obras ficam concluídas em Abril, altura de receber os alunos matriculados este ano lectivo, que, devido à falta de escolas, estudam ao relento e em salas de construção provisória.
A escola, cuja construção está orçada em mais 46 milhões de kwanzas, tem 12 salas, com capacidade, cada uma delas, de acolher 35 alunos, quatro casas de banho e um pátio.
Está prevista a construção de áreas de apoio, como campos polivalentes e de futebol 11, jardins e a vedação do espaço.
Os técnicos de construção civil e os electricistas da empreiteira local realizam trabalhos de acabamentos.
"Os trabalhos começaram em Dezembro. Estamos com um atraso ligeiro, mas há empenho para entregarmos a escola às autoridades", disse o encarregado de obra.
O governador da Huíla averiguou, no fim-de-semana, a evolução dos trabalhos, tendo pedido celeridade ao empreiteiro para a obra estar terminada no prazo acordado.
Isaac dos Anjos anunciou que depois da escola primária do Kuawa, o governo da província vai construir, na nova zona urbana, outra, maior, para estudantes do ensino secundário.
 
Fogos habitacionais
 
O governador da província da Huíla verificou também as obras de construção de 12 fogos habitacionais, no ordenamento da zona da Tchavola, onde muitas famílias continuam a erguer casas pelo processo de autoconstrução dirigida. Os fogos habitacionais, inseridos no Programa Nacional de Habitação do Executivo, comportam uma suite, três quartos, casa de banho, cozinha, sala comum e varanda. As obras começaram em Agosto e são concluídas dentro de alguns meses.
O governador Isaac dos Anjos disse que as famílias, com médio e alto rendimento podem adquirir as casas sociais e económicas, construídas num espaço de mil metros quadrados, a um preço que vai até 90 mil dólares.
A cidade nova, que compreende o ordenamento da Tchavola até Quilemba, declarou, vai dispor de vias primárias, secundária e terciárias, com 12, 24 e 60 metros de largura, numa extensão de 134 quilómetros.
As ruas da cidade velha totalizam 180 quilómetros.
As autoridades da Huíla estimam que mais de 410 mil pessoas vivam nas novas zonas urbanas de Quilembas e Eiwa projectadas pelo governo provincial.

Tempo

Multimédia