Províncias

Lavar as mãos com água e sabão é essencial

O representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) na Huíla, Paulo Mendes, reforçou a importância da lavagem das mãos com água e sabão, por ser uma prática barata e eficaz contra as doenças virais, incluindo o ébola.

A não lavagem das mãos constitui uma das principais causas das incidências de doenças diarreicas ou de origem hídrica
Fotografia: Arão Martins | Lubango

Paulo Mendes, que falava no acto provincial alusivo ao Dia da Lavagem das Mãos com Água e Sabão, assinalado a 15 de Outubro em todo o mundo, disse tratar-se de um gesto simples que faz parte de um conjunto de medidas necessárias para impedir a eclosão e propagação de várias doenças.
“Não se trata de uma varinha mágica, mas sim de uma defesa adicional que se encontra ao alcance de todos”, disse Paulo Mendes. “Se cada um de nós fizer algo na escola ou em casa, o simples gesto de lavar as mãos com água corrente e sabão pode salvar muitas vidas e proporcionar o bem-estar das famílias.”
A não lavagem das mãos é uma das principais causas da incidência de doenças diarreicas ou de origem hídrica, e de enfermidades de transmissão fecal ou oral, com destaque para a diarreica e a cólera, que continuam a vitimar a população.
Paulo Mendes referiu que dados do inquérito de bem-estar da população (IBEP-2009) revela que apenas quatro em cada 13 angolanos lava regular e adequadamente as mãos, um cenário que acredita que pode e deve mudar. O país tem estado a assumir uma liderança clara na promoção do saneamento e da lavagem das mãos, salientou.
“Estamos conscientes de que não existe uma solução simples, daí a necessidade de um intenso esforço de todos, sob a liderança do Executivo, para que a prática de lavagem das mãos faça parte dos nossos hábitos, tanto na escola, como em casa”, referiu.
O representante da UNICEF fez um apelo às escolas no sentido de criem um ponto de água e sanitários para rapazes e raparigas, para incentivarem hábitos de higiene.  Este é um dos desafios da sociedade, para que se incutam os bons hábitos à nova geração e se garanta o devido impacto na redução da mortalidade infantil.

Disponibilidade do UNICEF

Paulo Mendes reiterou a disponibilidade da UNICEF em continuar a trabalhar com as autoridades locais, para garantir a melhoria da prática da lavagem das mãos nas crianças e na população em geral. A sétima celebração do Dia Mundial da Lavagem das Mãos com Água e Sabão destacou a importância deste gesto simples nos momentos críticos como uma das “vacinas” mais baratas e eficazes contra as doenças virais, desde a gripe sazonal à constipação comum.

O desafio africano

A responsável do departamento provincial da Educação na Huíla, Paula Nepalanga, disse que este ano, as celebrações do Dia Mundial da Lavagem das Mãos com Água e Sabão aconteceram numa altura em que o continente africano, em particular, enfrenta o desafio da epidemia do ébola.
Angola, tal como outros países do mundo, está a redobrar os esforços para a prevenção do vírus do ébola, que já provocou a morte a mais de quatro mil pessoas.
O gesto de lavar as mãos, alertou, é uma prática que todos os dias os pais devem recomendar às crianças e a todos os demais membros da família, principalmente antes de comer, sair da casa de banho ou depois de pegar em objectos, para evitar doenças. A escola tem também, além da responsabilidade de instruir o aluno e de educar, a missão de reforçar aqueles conhecimentos que são adquiridos a partir da família, acrescentou.

Tempo

Multimédia