Províncias

Lubango prepara estratégias de produção de gado de corte

Arão Martins | Lubango

O vice-governador da província da Huíla para o sector Económico, Cunha Velho, defendeu, no Lubango, a elaboração de novas estratégias e políticas que permitam o desenvolvimento sustentável da produção do gado de corte, na perspectiva do Programa de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza.

Vice-governador da Huíla Cunha Velho (o terceiro da direita para esquerda)
Fotografia: Arimateia Baptista

O vice-governador da província da Huíla para o sector Económico, Cunha Velho, defendeu, no Lubango, a elaboração de novas estratégias e políticas que permitam o desenvolvimento sustentável da produção do gado de corte, na perspectiva do Programa de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza.
 Ao encerrar o seminário sobre transumância, o vice-governador considerou ser pertinente a criação de políticas que promovam o surgimento de associações e cooperativas e outras formas organizativas para melhorar o sistema de produção e comercialização de carne.
A formação dos jovens criadores tradicionais para ajudar a melhorar a rede sanitária dos serviços de veterinária na região sul, incluindo a distribuição de fármacos biológicos, foi também definida pelo vice-governador como factor importante para o alcance dos objectivos.
Cunha Velho exortou os criadores de gado do sul de Angola a sensibilizar a população para o perigo das doenças infecto-contagiosas. Defendeu, também, a introdução de melhorias no sistema de produção e comercialização dos animais.
O vice-governador afirmou que a transumância continua a ser importante para a população rural, nos aspectos cultural, social e económico: “a maioria dos pastores continua com as suas práticas tradicionais e a preservar os métodos para resolver os conflitos, apesar das políticas formais”.
As autoridades vão melhorar os serviços de apoio às comunidades pastoris e estudar medidas para recompensar os pastores com subvenções, se as rotas de transumância ou áreas de pasto importantes, forem destruídas e os criadores forem obrigados a comprar forragens.
Cunha Velho reconheceu que o projecto deve criar rotas garantidas para a transumância e restituir parte dos terrenos expropriados ilegalmente, oferecer recompensas ou criar alternativas, caso não haja hipótese de restituição dos terrenos.
Durante dois dias, os participantes, oriundos das províncias da Huíla, Namíbe e Cunene, debateram os problemas dos criadores e pastores, principalmente na época seca, na procura de pastagens e água. 
O vice-governador disse que os resultados e as conclusões do fórum reflectiram bem os problemas que as províncias da Huíla, Namíbe e Cunene têm no saneamento e combate às doenças infecto-contagiosas que afectam o gado.

Tempo

Multimédia