Províncias

Lubango tem nova rede de baixa e média tensão

Bairros do Lubango que desde a época colonial não tiveram energia eléctrica são contemplados antes do segundo semestre deste ano, quando estiver concluída a segunda fase da reabilitação, modernização e extensão da rede eléctrica de baixa e média tensão da cidade.

Director provincial da Energia e Águas
Fotografia: Arimateia Baptista|Lubango

Bairros do Lubango que desde a época colonial não tiveram energia eléctrica são contemplados antes do segundo semestre deste ano, quando estiver concluída a segunda fase da reabilitação, modernização e extensão da rede eléctrica de baixa e média tensão da cidade.
O director provincial da Huíla de Energia e Águas, Abel Costa, disse que, além de serem feitas ligações aos domicílios, postes de iluminação pública são colocados nas referidas zonas. As obras têm financiamento chinês, começaram o ano passado, decorrem a bom ritmo e estão orçadas em 46 milhões de dólares, refere o responsável.
O projecto contempla a instalação de 300 quilómetros de cabos eléctricos, para a rede de baixa e média tensão, bem como a instalação de 70 postos de transformação eléctrica, segundo o director.
Abel Costa disse que o projecto também prevê a colocação de três mil postes de iluminação pública, sobretudo nas zonas periféricas e novas urbanizações da Quilemba e Weia, no município do Lubango, assim como a construção de uma unidade fabril de produção de postes de betão, na localidade da Palanca, município da Humpata, cujas obras estão em fase conclusiva.
O director de Energia e Águas frisou que a conclusão deste projecto traz melhorias no fornecimento de energia eléctrica e na extensão da rede para as novas urbanizações e bairros periféricos.
Abel da Costa afirmou ainda que este projecto prevê a instalação de uma rede eléctrica integrada, para que, se houver avaria numa determinada área, a mesma não fique fora do circuito, como tem acontecido.
“Concluído este projecto, a cidade do Lubango conhece uma situação melhor em termos de distribuição de corrente eléctrica, ficando à espera da montagem de uma nova central térmica, com capacidade de 90 megawatts”, salientou.
A instalação e extensão da nova rede eléctrica de baixa e média tensão, segundo Abel Costa, está a cativar a criação de novos projectos empresariais nos ramos da habitação, hotelaria e turismo, indústria e outros na cidade do Lubango.
O director de Energias e Águas disse que a nova rede está a ser estendida para as zonas turísticas da Tundavala e Cristo Rei, assim como para as novas urbanizações da Quilemba e Weia, onde estão a ser erguidos milhares de fogos habitacionais, complexos industriais e outros projectos de desenvolvimento. Este projecto permite de igual modo ligação eléctrica aos novos empreendimentos escolares, hospitalares, habitacionais, comerciais, industriais e outros do sector público e privado, que estão a surgir a nível da cidade do Lubango, segundo Abel Costa.

Tempo

Multimédia